Política

EUA destaca mediação de Angola no diferendo entre RDC e Rwanda

O secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, destacou, em Kinshasa, o papel de Angola e do Quénia na mediação do diferendo entre a República Democrática do Congo e o Rwanda.

11/08/2022  Última atualização 06H35
Antony Blinken está em Kinshasa, após visita a África do Sul © Fotografia por: DR

O que nós (EUA) fazemos diariamente é garantir que os Estados Unidos possam apoiar a mediação internacional gerida pelo Quénia e Angola, trazer de volta a paz, a segurança e a estabilidade”, disse Antony Blinken, citado pela a Agência Congolesa de Imprensa.

Antony Blinken chegou a Kinshasa à frente de uma grande delegação do seu país, após uma visita de trabalho à África do Sul.

De acordo com a imprensa internacional, a visita ao continente africano do secretário de Estado norte-americano visa reforçar o diálogo EUA-África, bem como procurar atenuar a influência russa no continente.

Citado pela Agência Congolesa de Imprensa, o diplomata americano pediu ao M23 e a todos os outros grupos armados que "cessem as suas actividades violentas, desmilitarizem e prossigam os esforços de normalização que são imperativos".

O vice-primeiro-ministro da RDC, Christophe Lutundula, indicou, por sua vez, que as delegações dos EUA e do Congo discutiram questões de interesse comum.

Engajamento do Presidente João Lourenço

Sob mediação do Chefe de Estado angolano, João Lourenço, os presidentes da RDC, Félix Tshisekedi, e do Rwanda, Paul Kagame, reuniram-se, em Julho passado, em Luanda, num encontro que visou solucionar o conflito armado no Leste da RD Congo.

Desde que tomou posse como Presidente da República, em Setembro de 2017, João Lourenço não tem poupado esforços para ver solucionada a crise política e militar em alguns Estados que constituem a Região dos Grandes Lagos, mais concretamente o Rwanda e Uganda, República Centro Africana (RCA), Sudão, República Democrática do Congo (RDC), Tchad e demais países do continente berço.

Analistas consideram que João Lourenço tem tido empenho positivo nos esforços para ultrapassar as crises e desenvolve um grande trabalho para pôr fim à presença, em território da RDC, das Forças Democráticas de Libertação do Rwanda (FDLR), e para o desmantelamento das milícias congolesas (M23).

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política