Cultura

Etiópia comemora devolução de tesouros saqueados no século XIX

A Etiópia comemorou neste sábado (20) a devolução de tesouros antigos saqueados no século XIX pelos soldados britânicos e que recentemente voltaram do Reino Unido, Bélgica e Países Baixos, depois de uma longa campanha diplomática para os obter.

20/11/2021  Última atualização 19H23
Devolução de tesouros saqueados no século XIX © Fotografia por: DR
A colecção inclui uma coroa usada em cerimónias, um escudo imperial, um conjunto de taças de chifre de prata, um livro de orações manuscrito e várias joias, sendo que a maioria das moedas devolvidas foram saqueadas pelo exército britânico após a sua vitória sobre o Imperador abissínio Tewodros II na Batalha de Magdala em 1868.

Os tesouros foram mostrados os média no Museu Nacional de Addis Abeba, dois meses após terem sido oficialmente entregues às autoridades etíopes no mês de Setembro deste ano, em Londres.

O embaixador da Etiópia no Reino Unido, Teferi Melesse, considerou que a entrega desses objectos, que constitui a restituição mais importante já feita a favor da Etiópia, tem "um significado enorme”.

No entanto, a Etiópia continua a exigir que Londres devolva muitos outros objectos, incluindo as tábuas sagradas de pedra e madeira que representam uma Arca da Aliança, a arca que a Bíblia refere que continha os Dez Mandamentos dados a Moisés no Monte Sinai.

As tábuas estão guardadas no Museu Britânico de Londres, sem que tenham alguma vez sido exibidas ao público.

Adis Abeba também exige a devolução dos restos mortais do filho de Tewodros, o príncipe Alemayehu, que foi levado para a Inglaterra após o suicídio do seu pai a seguir à sua derrota no campo de batalha.

"Uma série de objectos, que são parte integrante do património da nossa cultura e dos nossos valores, foram saqueados e ilegalmente levados do país após esta batalha”, lamentou a ministra do Turismo da Etiópia, Nasise Challi.

A governante etíope referiu ainda que "inúmeros destes objectos estão hoje em vários museus, em centros de investigação e até nas mãos de particulares”, pelo que apelou ao seu regresso à Etiópia.

A Comissão Nacional Etíope para a Restituição dos diversos objectos do património cultural que estavam hoje expostos no Museu Nacional de Addis Abeba deveriam ter sido leiloados, mas foram entretanto comprados pela Fundação Filantrópica Scheherazade com o objectivo de serem devolvidos a este país africano.

"Todas estas restituições acontecem no contexto global em que se questiona o papel dos museus na representação das histórias coloniais e da legitimidade para expor os objectos saqueados”, esclareceu ainda aquela entidade.

Além destes objectos, outros foram adquiridos a particulares, coleccionadores, revendedores e investidores, sendo que entre eles, está um conjunto de manuscritos medievais que seriam leiloados em Haia (Países Baixos).

A Etiópia está também em negociações para que lhe sejam devolvidas uma bíblia e uma cruz, que deverão ser leiloadas nos Estados Unidos.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura