Coronavírus

Estudo recomenda 2ª dose para a eficácia da vacina Janssen

A vacina Janssen contra a Covid-19, de dose única, é menos eficaz contra as variantes Delta e Lambda, pelo que é recomendada uma segunda dose, de acordo com um estudo norte-americano ontem publicado.

25/07/2021  Última atualização 07H25
© Fotografia por: DR
O estudo, divulgado pela Universidade de Nova Iorque, não foi revisto nem publicado numa revista científica, e foi realizado a partir de uma série de experiências laboratoriais com amostras de sangue, o que significa que não reflecte a aplicação efectiva da vacina nos humanos.

Ainda assim, os autores do estudo sugerem que as pessoas inoculadas com a dose única desta vacina, produzida pelos laboratórios Janssen, da multinacional Johnson & Johnson, deveriam receber um reforço de vacinação, preferencialmente com vacina da Pfizer ou Moderna.
Estas conclusões contrariam os estudos publicados recentemente pela Johnson & Johnson, que apontavam para uma elevada eficácia da vacina contra a Covid-19 e a variante Delta, até oito meses depois da inoculação.

"A mensagem que queremos passar é que as pessoas não deixem de tomar a vacina da Johnson & Johnson, mas esperamos que, de futuro, haja um reforço com outra dose desta mesma vacina, ou da Pfizer ou Moderna”, afirmou o virologista Nathaniel Landau, que liderou o estudo, citado pelo jornal The New York Times.

Numa audição na terça-feira, no Senado, a directora do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças norte-americano, Rochelle Walensky, afirmou que a variante Delta da Covid-19, que é mais contagiosa, representa actualmente 83% das infecções nos Estados Unidos.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Coronavírus