Política

Estratégia prevê melhoria da segurança dos veículos

Garrido Fragoso

A criação de uma base de dados geoespacial sobre sinistralidade rodoviária e a melhoria dos níveis de segurança dos veículos em circulação são as acções constantes da Estratégia Nacional de Prevenção e Segurança Rodoviária, cujo grau de execução foi avaliado, na quarta-feira, na primeira sessão ordinária do Conselho Nacional de Viação e Ordenamento do Trânsito (CNVOT), orientada pelo Vice-Presidente da República, Bornito de Sousa.

18/06/2021  Última atualização 04H55
© Fotografia por: DR
A ser implementada até 2022, a Estratégia Nacional de Prevenção e Segurança Rodoviária prevê a redução dos acidentes em 50 por cento, em consonância com as recomendações da OMS e os objectivos estratégicos do Executivo até ao próximo ano.

A Estratégia preconiza, igualmente, a redução do tempo  de intervenção dos serviços de socorro às vítimas, garantia de assistência médica pré-hospitalar e tratamento aos sinistrados.

O Conselho foi informado sobre a Avaliação de Angola no Processo de Integração Regional, no Âmbito do Programa Tripartido de Transporte e Facilitação de Trânsito (PTFTT), destinado a desenvolver e implementar  políticas, normas, sistemas e procedimentos  harmonizados para as redes de transporte, logística e trânsito rodoviário transfronteiriços serem eficientes.

Com o programa, os Estados-membros das três regiões económicas de África (COMESA, SADC e EAC) propõem-se a facilitar o desenvolvimento de uma circulação regional mais competitiva, integrada e liberalizada, com altos níveis de eficiência da rede de transportes para os países encravados, através da abertura de corredores de transportes rodoviários.
O país pretende cumprir o cronograma traçado pelo  PTFTT, que aponta para a selecção de dois corredores de implementação da fase piloto, até 21 de Julho de 2022.

Angola pretende, igualmente, operacionalizar o Comité Nacional de Implementação do Plano de Acção do Programa, actualizar o Modelo da Carta de Condução e reestruturar  o processo de formação  de condutores.



No mesmo âmbito perspectiva-se a criação  de Centros de Inspecção  de veículos, do Sistema Nacional de Informação dos Transportes  Rodoviários, a implementação  da Carta Amarela (seguro internacional) e da Rede  de Balanças para a Pesagem de Veículos de Mercadorias.



O Conselho foi informado sobre as condições dos hospitais  de referência  para a realização de testes toxicológicos  (álcool no sangue) e sobre o funcionamento dos Conselhos Provinciais de Viação e Ordenamento do Trânsito.


Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política