Cultura

Estilista e design angolana fortalece aposta na inovação

Manuel Albano

Jornalista

A procura de novos horizontes no universo da moda no mercado africano, tendo em conta as novas tendências, tem sido um dos grandes desafios deste ano da estilista e design de moda angolana Anacelma Caqueta, residente em Marrocos.

21/10/2020  Última atualização 16H10
Criadores de moda nacional têm estado a trazer propostas inovadoras para conquistar o mercado internacional © Fotografia por: Arão Martins | Edições Novembro
Com objectivos e desafios bem definidos, a tentativa de encontrar na moda a possibilidade de ascender na carreira profissional e buscar novos factos culturais, tem levado a estudante angolana, de 24 anos, a apresentar propostas inovadoras, algumas quais bem recebidas pelo público no Marrocos.
Anacelma Caqueta disse, ontem, ao Jornal de Angola, que tem dirigido o próprio atelier de costura denominado "Kukala”. A ideia de criar um próprio projecto, conta, começou ainda no país, quando despertou o interesse pelo mundo têxtil, onde procurava combinar cores com as novas tendências do mercado da moda internacional.
Os resultados destas misturas ousadas, adiantou, eram inicialmente assentes na combinação de cores, mas hoje, após anos de experiência, já tem conseguido conquistar um público. "Costurava as roupas à mão e transformava-as, mas quando cheguei ao Marrocos tive a oportunidade de obter conhecimentos técnicos uma escola de moda”, referiu.
Mas, revela, a entrada definitiva para o mercado da moda só aconteceu depois de anos de aprendizagem constante, disciplina e determinação. "Para quem pretende conquistar um mercado exigente e competitivo, como o marroquino, existem muitos desafios. Porém agora estou segura e pretendo continuar a apostar neste sector”, adiantou.
A estilista informou que tem procurado, regularmente, desenvolver projectos sobre a moda contemporânea, mas preservando sempre os traços culturais nacionais na produção. "É também uma forma de criar bases e reforçar a apostar no empreendedorismo”, disse, acrescentando que enquanto estrangeira, num país com tradição em moda, os desafios são imensos.
"Mas tem sido uma experiência positiva. As oportunidades não aparecem com facilidade aqui, elas criam-se e aos poucos tenho conseguido internacionalizar a minha marca, que começa a ser conhecida pelo grande público marroquino e angolano”, destacou a estilista, que está a fazer mestrado em Comércio Internacional em Marrocos.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura