Regiões

Estátua do Rei Mandume descerrada na Praça do Governo

Domingos Calucipa | Ondjiva

Jornalista

Uma estátua do Rei Mandume ya Ndemufayo, soberano do Reino do Cuanhama, em homenagem à sua autodeterminação na defesa do território e do povo, foi descerrada quarta-feira, na Praça do Governo Provincial do Cunene, no centro da cidade de Ondjiva.

21/07/2022  Última atualização 08H50
Estátua do Rei Mandume ya Ndemufayo já foi descerrada no Cunene © Fotografia por: Domingos Calucipa | Ondjiva

Descerrada pelo ministro da Defesa e Veteranos da Pátria, João Ernesto dos Santos "Liberdade”, a estátua feita em bronze  tem uma altura de cerca de cinco metros e quatro de comprimento, representada pela figura do Rei Mandume sobre um cavalo e ao lado um cão.

A estrutura em memória ao temível soberano do povo kwanhama está erguida no local onde funcionou o reinado, antes da ocupação colonial, de acordo com a história.

Na ocasião, o ministro da Defesa Nacional e Veteranos da Pátria disse que no processo de luta de resistência contra a ocupação colonial no território que hoje constitui a República de Angola existem personagens, que pela sua heróica valentia se notabilizaram entre os seus compatriotas na condução das acções de defesa e preservação dos seus territórios.

João Ernesto dos Santos "Liberdade” destacou os emblemáticos reis Ngola Kiluanje, Ekuikui, Mutu ya Kevela, Ndunduma, Nzinga Mbandi e Mandume ya Ndemufayo, tendo assinalado que Mandume foi um patriota que no século XX, muito jovem, chegou ao trono do Reino do Kwanhama, liderando  actos de resistência contra os invasores alemãs, ingleses e portugueses.

Para o ministro, a inauguração da estátua é um acto importante no processo de afirmação do Estado Angolano, por todo o simbolismo político que representa o rei Mandume na história de resistência contra a ocupação colonial.

A governadora do Cunene, Gerdina Didalelua, o monumento representa a vontade de eternizar os feitos do Rei Mandume enquanto combatente da liberdade dos povos e do seu território.

A estrutura, disse, está erguida num espaço histórico da província, onde primeiramente foi erguida a sede político-administrativa do Reino de Oukwanhama entre 1862 a 1915 pelo Rei Mueshipandeka. "Já em 1969, o governo colonial português edificou no mesmo local a sua sede político-administrativa, onde veio a funcionar o comissariado provincial, e hoje é onde está a sede do governo provincial”, conta Gerdina Didalelwa.

A inauguração da estátua, que se enquadra nas comemorações dos 52 anos da província do Cunene, foi antecedida de deposição uma coroa de flores no túmulo do Rei na localidade de Oihole.

Mandume ya Ndemufayo reinou de 1911 a 6 de Fevereiro de 1917, data da sua morte em combate.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões