Política

Especial/ Estado da Nação: País produz 5.630 Megawatts

Domingos dos Santos

Jornalista

O país tem, este ano, uma capacidade energética instalada de 5.630 Megawatts, dos quais 3.342 MW de produção hídrica, 2.223 MW térmica e 35 MW de produção híbrida.

16/10/2020  Última atualização 16H49
DR


Estes dados foram apresentados ontem na Assembleia Nacional, pelo Presidente da República, João Lourenço, lembrando que, em 2017, a capacidade instalada era de 4.068 MW.

“O incremento deveu-se essencialmente à entrada em operação em Junho do ano passado da quinta turbina da barragem de Laúca, e também à entrada em operação, no final do ano passado, das novas centrais térmicas de Saurimo, Luena e Cuito”, disse o Chefe de Estado.
A demanda atendida de energia eléctrica é actualmente de 1.957 MW. O Presidente da República disse que isso representa um crescimento de 11 por cento em relação ao ano passado e que é reflexo das acções de investimento na extensão das redes de transporte e na ligação de novos consumidores.

Com a produção hídrica, sublinhou, houve uma redução drástica de cerca de 60 por cento no consumo de diesel para a produção de energia eléctrica, o que resultou numa poupança aos cofres do Estado estimada em mais de 111 mil milhões de Kwanzas.
“No ano passado, foi concluída a interligação entre os sistemas Norte e Centro, com a integração do sistema eléctrico das províncias de Benguela, Bié e Huambo, abrangendo ao todo dez províncias. Está em fase de preparação a interligação entre as regiões Centro e Sul, que culminará com a integração na Rede Eléctrica Nacional das províncias da Huíla e Namibe”, disse.

O Chefe de Estado disse que os investimentos realizados no aumento da capacidade de produção e transporte, foram também acompanhados por importantes investimentos na ampliação das ligações domiciliares em várias cidades e vilas do país, como em Cabinda, Benguela, Huambo, Luanda e Zaire.
“Isso permitiu aumentar o número de beneficiários em mais de 337.955 famílias, em 2019, ou seja, cerca de 1.690.000 pessoas”, frisou.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política