Política

Especial/Agostinho Neto: Memorial reflecte dimensão do estadista e homem de cultura

Manuel Albano

Jornalista

A dimensão do estadista e homem de cultura, reflectida no Memorial da Praia do Bispo, que tem como premissas conservar, imortalizar, divulgar e investigar a vida e obra do primeiro Presidente da República, António Agostinho Neto, deveria estar permanente no quotidiano dos angolanos, defendeu, em Luanda, o presidente do Conselho de Administração do Memorial, o escritor, ensaísta e pesquisador António Fonseca.

17/09/2021  Última atualização 07H10
© Fotografia por: João Gomes | Edições Novembro
António Fonseca explica que Agostinho Neto deixou um valioso legado que deve ser continuamente revisitado, de modo a ser usado na contemporaneidade dos angolanos e projectar os caminhos do futuro.

Segundo António Fonseca, o Memorial foi erguido como forma de reconhecimento da grandiosidade dos feitos de Agostinho Neto como humanista, patriota e os actos em prol da Independência Nacional, desenvolvimento de Angola e de África.Para António Fonseca, o mais importante é o papel que o Memorial representa para a conservação, divulgação e pesquisa da vida e obra de Agostinho Neto.

"O Memorial deve ser um local de referência na vida cultural dos angolanos e ter uma acção constante de interacção com as populações”, destacou.Com a criação de novos factos culturais, disse, a ideia é dar continuidade aos projectos já existentes, sobretudo ajudar a desmistificar pensamentos de que "o Mausoléu é uma zona militarizada". "O local é uma entidade aberta a todos que se interessem em visitá-lo e usufruir da nossa agenda cultural”.
Actividades culturais

O Memorial Dr. António Agostinho Neto tem um programa cultural "Textualidade - Conversa com Leitores”, onde o público já interagiu com escritores de referência como Pepetela, Boaventura Cardoso, Luís Kandjimbo, Cremilda de Lima, Octaviano Correia, David Capelenguela para um diálogo geracional, a que se junta os concertos mensais intimistas com apoio do Caixa Artes.Paralelamente a esse eventos, o MAAN tem apoiado projectos individuais e colectivos, bem como de instituições públicas e privadas no domínio das artes.

Quem visita o Mausoléu encontra um ambiente de espiritualidade, paz e harmonia estética da estrutura arquitectónica, transmitindo uma sensação de bem-estar, inclusive tem a sensação de estar em contacto permanente com a vida e obra de Agostinho Neto. De acordo com António Fonseca a intenção é mesmo a de "criar uma aura positiva aos visitantes em torno do Memorial, do patrono e da sua obra.”
Nove mil visitantes em 9 meses

O  Memorial tem recebido, nos últimos anos, muitos visitantes. Só este ano, de Janeiro até ao princípio deste mês, registou  a visita de nove mil pessoas e a realização de 86 actividades das mais variadas manifestações artísticas, na sua maioria em torno do pensamento do primeiro Presidente, no compromisso com o país e os angolanos.Muitos visitantes são estudantes de escolas públicas e privadas, do ensino de base, primeiro e segundo ciclo, que são brindados com o programa cultural denominado "hora do conto”.

O PCA do MAAN realçou, ainda, que existe um público adulto que visita a instituição por interesse histórico e de conhecimentos gerais, que são os universitários, pesquisadores, instituições públicas e privadas. Apesar da pandemia da Covid-19 ter criado vários constrangimentos no funcionamento normal do espaço, António Fonseca considera serem números positivos. "Os de nacionalidade portuguesa, brasileira e francesa são os que mais procuram saber sobre a vida e obra de Agostinho Neto.”

Aumentar o leque de visitas individuais, assentes na  elaboração de programas para maior divulgação do Memorial junto do público, tem sido uma das prioridades da direcção.

No âmbito de um protocolo de cooperação entre a instituição e o Ministério da Educação,  crianças  provenientes de diferentes escolas e colégios da capital do país visitam diariamente o Memorial. No período de férias escolares, são realizadas, no local, actividades de dança, teatro, literatura, artes plásticas, jogos e palestras educativas.
Sarcófago é o local mais procurado

O sarcófago do Presidente Neto é um dos locais mais procurados, devido à carga emotiva que provoca nos visitantes. Para além da exposição permanente, os visitantes têm acesso aos mais variados compartimentos ligados às áreas de estudo e pesquisa.O Memorial tem recebido, também, a visita de estadistas, ministros e embaixadores. O primeiro estadista estrangeiro a visitar o Memorial foi o antigo Presidente de Cabo Verde, Pedro Pires.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política