Cultura

Espaço Luanda Arte reabre com duas mostras

Mário Cohen

Jornalista

Dois anos depois da suspensão das actividades devido à pandemia da Covid-19, o Espaço Luanda Arte (ELA) voltou a reabrir as portas ao público na quinta-feira com a inauguração, em simultâneo, das exposições individuais dos artistas Francisco Van-Dúnem (Van), intitulada “Arte, Natureza e Objectivos”, e “Libota ya Motema” de Uólofe Griot.

10/09/2022  Última atualização 07H35
Criações artísticas de Van e Uólofe Griot marcam a reabertura de galeria na capital © Fotografia por: Luís Damião | Edições Novembro

O responsável do ELA, Dominick Tanner, disse ao Jornal de Angola ser um orgulho para aquele espaço cultural apoiar os artistas angolanos a divulgar e promover os seus trabalhos de artes visuais e plásticas.

"Reabrimos o ELA com dois altíssimos valores das artes no país, um do presente, o Van, e um do futuro, o Uólofe Griot, grande prémio do Ensa-Arte deste ano e seguramente nós apaixonados com os nossos artistas apoiamos o país na valorização da identidade cultural” afirmou Dominick Tanner.

Para o artista plástico Van  a exposição "Arte, Natureza e Objectivos” traz novos desafios, apesar de ter trabalhado muito na base do ambiente, apresentando, desta vez, um trabalho mais abrangente que é a natureza, por ser a mãe de tudo.

Nesta mostra de arte, o artista buscou aspectos da natureza e do ambiente, dos quais não tem trabalhado. "Agarrei-me com muita acutilância na escultura, através de objectos abandonados e entregues à sua sorte, também chamados de materiais pobres, transformei em obras de arte simulando árvores, animais e arbustos”.

Explicou que transformar em obras de arte objectos abandonados é algo que não tem feito com muita frequência, mas que agora fez por ser bom para a arte e para o trabalho que vem desenvolvendo há décadas.

Quanto à pintura, Van revelou que é um trabalho mais tradicional na sua actividade artística, tendo também associado a pintura ao desenho, assim como produziu obras associadas à marcenaria e artesanato, que acredita que resultou em trabalho diferente em relação aos já realizados.

Já Uólofe Griot disse que "Libota ya Motema”, expressão lingala que em português significa "Coração de família”, espelha que a linhagem é o primeiro núcleo social e de socialização do indivíduo e é lá onde o ser humano aprende a tecer laços e relações com o próximo.

O artista e designer disse que é uma honra expor as suas obras de arte no ELA simultaneamente com o mestre Van. Revelou, ainda, que é a segunda vez que expõe com o artista Van, a primeira ocasião foi na mostra "Jovens Artistas Angolanos - O Jango”, realizada pelo artista Van.

"Partilhar uma actividade com o artista Van quem sai a ganhar sou eu, porque vou bebendo da sua experiência para que no futuro possa me afirmar no mercado nacional e internacional, apesar de ter ainda muito por percorrer neste mundo das artes plásticas”, frisou Uólofe Griot.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura