Cultura

Escritor quer políticas para produção literária

O escritor Isaquiel Cori defendeu, sábado, em Luanda, a criação de novas políticas de incentivo à produção e divulgação de obras literárias, de forma a aumento e dar maior projecção à literatura em Angola.

26/04/2022  Última atualização 09H25
Isaquiel Cori colocou novo romance no mercado nacional © Fotografia por: DR

Para o escritor, que tem um novo livro no mercado, intitulado "Dias da Nossa Vida”, cuja cerimónia de apresentação aconteceu sábado, no Cassenda, em Luanda, a criação de novas políticas vai permitir, também, o mercado nacional ter livros baratos e às escolas implementarem bibliotecas, capazes de incentivar o gosto  pela leitura.

Por outro lado, Isaquiel Cori considerou de positiva a actual criação literária por parte dos autores nacionais, em especial com o aparecimento de novos escritores a emprestarem o seu saber para a cultura nacional. "Na vertente criativa, o estado actual é positivo, mas no da produção do livro, existem questões que devem ser ultrapassadas e facilitadas pelas gráficas, para que existam mais autores a publicarem títulos”, referiu.

O facto de existirem muitos autores com "obras na gaveta” por  falta de apoios financeiros para publicação é, para Isaquiel Cori, um claro sinal da importância de existirem novas políticas. Em relação ao romance, que começou a ser forjado em 2015, explicou que este aborda algumas situações sociais, como à corrupção, os jogos de influência, cujo impacto têm afectado muito a sociedade.

Natural de Luanda, Isaquiel Cori é escritor, membro da União dos Escritores Angolanos, e editor do Jornal de Angola. Actualmente tem no mercado os livros "Sacudidos pelo vento”, "O último feiticeiro”, "Pessoas com quem falar I”, em co-autoria com Aguinaldo Cristóvão, e "Último recuo”.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura