Cultura

Escritor angolano na final de Concurso de Literatura

Marcelino Wambo | Huambo

Jornalista

O autor do romance “O Imigrante da Web e suas Tolices”, Eugénio Afonso Gaspar, de nome artístico “Nituecheni Africano”, foi apurado a participar no maior Concurso de Literatura da América Latina a decorrer no Brasil, em Janeiro próximo, disputando com um tanzaniano e outro sul-africano, anunciou, ontem, o director do Gabinete Provincial da Cultura, Turismo, Juventude e Desportos.

23/11/2022  Última atualização 08H43
Nituecheni Africano está apurado para a final do certame © Fotografia por: Marcelino Wambo | Edições Novembro/ Huambo
Jeremias Piedade dos Santos Chissanga considerou que a participação do jovem escritor Nituecheni Africano, nascido no Huambo, no maior concurso de literatura na categoria de Melhor Romance, com a obra "O Imigrante da Web e suas Tolices”, pressupõe um grande ganho e orgulho, não apenas para os amantes da arte literária e dos habitantes da província, mas também para o país.

Ressaltou que iniciativas do género devem ser abraçadas e apoiadas não apenas pelo Governo através de instituições de direito, mas, também, por empresários e pessoas singulares amantes da literatura e não só, no sentido de elevar ao mais alto nível a cultura angolana, e, em particular, da região.

Para que o jovem esteja em condições de representar,

condignamente, o país e o Huambo, em particular, precisamos de votar quantas vezes forem necessárias através do site do concurso que estará, brevemente, disponível e por via do voto possamos desenvolver a cultura angolana no campo artístico-literário”, explicou o director da Cultura no Huambo.

Nituecheni Africano disse, ao Jornal de Angola, que  a obra "O Imigrante da Web e Suas Tolices”, narra a história de um jovem, africano residente em Angola, licenciado em Engenharia Informática e Telecomunicações, que se apaixona virtualmente nas redes sociais Facebook por uma jovem hispano-brasileira, esta que, por sua vez, o convida a ir morar no Brasil e sem, mais, hesitar o jovem acede ao convite e parte com destino para São Paulo, com o intuito de refazer a sua vida. Ao chegar se depara com uma realidade, completamente antagónica da que esperava.

O autor refere que a motivação para escrever este livro, surge de uma reflexão feita em torno da evolução das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC), mostrando à sociedade os perigos iminentes do uso da redes sociais, as suas vantagens e desvantagens, num momento em que assistimos um elevado índice de crimes cibernéticos de histórias de, assédio, sequestros, violação e suicídio.

Daí que ele aconselha às pessoas a fazerem o uso das redes sociais de forma cautelosa e racional, porque muitos perfis são falsos e por trás deles há pessoas de má-fé. "Nunca aceder aos convites de encontros  marcados  com pessoas desconhecidas a partir das redes sociais”, aconselhou.

Nituecheni Africano considerou que a literatura angolana tem estado a crescer de forma exponencial, sente-se feliz em fazer parte desta nova geração de escritores contemporâneos que muito têm feito para incentivar, sensibilizar os  jovens a aderirem ao hábito e cultura da leitura  no sentido de aumentar a produção de obras literárias na província do Huambo.

Realçou que isto só é possível com o apoio do Governo, sector empresarial e de pessoas singulares porque em relação à edição e impressão de livros, os escritores em Angola passam muitas dificuldades, devido ao elevado custo de produção.

Com pseudónimo literário Eugénio Afonso Gaspar, Nituecheni Africano, nascido a 12 de Setembro de 1990, na província do Huambo, é autor de três obras literárias, nomeadamente "O Prisioneiro do Amor”, " O Vendedor de Pães As Mos”,  e "O Imigrante da Web e Suas Tolices” , este último lançado no passado mês de  Outubro, no Jardim da Cultura, na cidade do Huambo.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura