Economia

Escassez de gás provoca violação das medidas de prevenção

A escassez de gás de cozinha na cidade do Luena, Moxico, tem provocado grandes enchentes nos pontos de venda, violando as medidas de prevenção contra a propagação da Covid-19. O Jornal de Angola constatou que as pessoas aguardam largas horas para serem atendidas e não respeitam o distanciamento social, que prevê um metro e meio de distância, por cada pessoa.

09/04/2020  Última atualização 11H15
DR © Fotografia por: O responsável da Sonangol recusou-se a prestar qualquer esclarecimento sobre o assunto, alegando falta de autorização superior.

As agências revendedoras apontam a paralisação do comboio do Caminho-de-Ferro de Benguela para justificar a escassez do produto. O gás que chega ao Luena, por via terrestre, a partir de Luanda, tem sido insuficiente para satisfazer a procura registada nas últimas semanas.
Devido a escassez de gás, a população tem recorrido ao uso do carvão, cujo preço do saco subiu de 1.100 para 2000 mil kwanzas.
O responsável da Sonangol no Moxico recusou-se a prestar qualquer esclarecimento sobre o assunto, alegando falta de autorização superior.

Cesta básica

Os empresários do Moxico garantem que não haverá escassez de produtos da cesta básica durante o Estado de Emergência. Num encontro com governador Gonçalves Muandumba, os empresários apresentaram as preocupações e traçaram estratégias para o transporte de produtos da cesta básica.
Gonçalves Muandumba orientou a criação de condições para acelerar o processo de transportação de mercadorias para região, no sentido de não criar défice nos próximos dias. “Nesta fase, os agentes económicos devem ser flexíveis e solidários e não podem aproveitar a escassez para alterar os preços da cesta básica, uma vez que o país vive um Estado de Emergência”, disse.
O empresário Muhamed Sali garantiu diminuir o preço do pão, tendo em conta a actual situação. “Temos stock para produzir o pão durante 30 dias”, assegurou, acrescentando que vão distribuir pão gratuito ao Lar da Terceira Idade e aos passageiros do Caminho-de-Ferro de Benguela, que permanecem no Luena devido o Estado de Emergência.

CASA- CE apoia famílias
Centenas de famílias carenciadas do bairro Chiteno, arredores da cidade do Luena, beneficiaram de produtos da cesta básica, distribuídos pela Convergência Ampla de Salvação CASA-CE, no Moxico. Em declarações à imprensa, o secretário provincial da CASA-CE disse que a iniciativa visa minimizar as dificuldades que muitas famílias enfrentam, principalmente desde a entrada em vigor do Estado de Emergência.
Salomão Luchazes assegurou que aquela formação política vai estender a onda de solidariedade a outros bairros da periferia da cidade do Luena. Além da cesta básica, a CASA-CE estabeleceu um contrato com uma empresa para a distribuição de água nos bairros onde não há ainda rede pública.

Comunidade mauritaniana

A comunidade empresarial mauritaniana no Moxico doou bens alimentares e um cheque no valor de um milhão de kwanzas ao Governo Provincial, no âmbito do combate e prevenção da Covid-19 .
O governador Gonçalves Muandumba agradeceu a iniciativa dos empresários mauritanianos e disse que o apoio vai ajudar na resolução de vários problemas que a população enfrentam, desde que foi decretado o Estado de Emergência.
A diretora do Gabinete provincial da Acção Social e Igualdade do Gênero, Leonora de Morais, disse que a doação vai ser distribuída aos idosos do Lar da Terceira Idade, centros de acolhimento e algumas famílias vulneráveis já identificadas.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia