Política

ERCA defende máxima protecção aos jornalistas

O Conselho Directivo da Entidade Reguladora da Comunicação Social (ERCA) defendeu, ontem, a necessidade de os jornalistas, no exercício das funções, beneficiarem da máxima protecção por parte dos organizadores de manifestações e de outras actividades político-partidárias, de forma a se evitar que sejam molestados por quem quer que seja, independentemente dos meios utilizados.

16/09/2021  Última atualização 06H25
© Fotografia por: DR
Reunido, ontem, em sessão ordinária, o órgão de regulação analisou as consequências dos acontecimentos da marcha organizada pela UNITA, em Luanda, no passado sábado.

De acordo com a deliberação da reunião, a ERCA condena, de forma inequívoca, os actos protagonizados por alguns manifestantes contra profissionais da TPA e da TV Zimbo. A ERCA lembra que o novo Código Penal criminaliza como atentado à liberdade de imprensa qualquer acção ilegítima que vise dificultar o exercício da actividade jornalística no espaço público.

Refere que tomou nota de todas as reacções que foram tornadas públicas, com destaque para o apelo ao diálogo feito pelo Presidente da República, como sendo a melhor via para se ultrapassar qualquer desentendimento.
A ERCA debruçou-se, especialmente, sobre as posições adoptadas pela TPA e TV Zimbo, exortando-as a terem em conta os seus compromissos para com toda a sociedade.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política