Economia

Energia nas prioridades do município dos Dembos

A expansão de projectos da rede pública municipal para as comunas, a construção da ponte sobre o rio Tanda, a recuperação das vias secundárias e terciárias e a electrificação do Triângulo, estão entre as prioridades das autoridades do município dos Dembos para o presente ano.

09/01/2022  Última atualização 05H50
Quibaxi já sonha com melhores condições de habitabilidade © Fotografia por: Edições Novembro
A essas, juntam-se a conclusão do projecto de asfaltagem e colocação de passeio na vila de Quibaxe e o melhoramento das infra-estruturas institucionais da municipalidade, de acordo com o administrador municipal dos Dembos, Fonseca Miguel Ganga.

Com a chegada da energia eléctrica no município, referiu, as prioridades estarão viradas para a requalificação geral da rede de distribuição na sede municipal, a criação de projectos de expansão da rede pública para as comunas, o melhoramento do sistema de distribuição de água, o fomento da agricultura e a criação de zonas industriais.

O responsável, que não avançou dados, fez um balanço "razoável” das actividades desenvolvidas em 2021. Frisou que, apesar da pandemia impossibilitar a conclusão de alguns projectos, no quadro do Programa de Combate à Pobreza foram executados os eixos previstos, enquanto no PIIM o município cumpriu 90 por cento dos projectos definidos.

Nessa iniciativa fala-se em inauguração de três escolas primárias, duas com sete salas de aula e outra com oito, nas aldeias da Missão, Quingange, Kimukiama, além da reabilitação de três salas de aula na aldeia da Banza e um Centro de Saúde na comuna do Piri.

Em curso está a construção de duas escolas com sete salas, cada, nas aldeias de Cassumba Camabaia e Catende, e a construção de mais quatro salas na aldeia da Banza.Também em construção está o Complexo Residencial Administrativo das Autarquias, a passagem hidráulica sobre o rio Mussala, o internato do Instituto Médio Politécnico do Piri, quatro sistemas de água na localidade do Muquiama Samba, Samba e Mobil, uma ponte de estrutura metálica sobre o rio Tanda, a reabilitação do Hospital Municipal, a pavimentação, asfaltagem e lancilagem da sede municipal e a conclusão de 15 residências em Parede.

No projecto Kwenda foram já beneficiadas 3.381 famílias, sendo 1.962 na primeira fase e 1.587 na segunda. O administrador admitiu, que os insuficientes recursos financeiros estiveram na base da não implementação de outros projectos em carteira.

Fonseca Ganga, que sonha com um município com melhores condições de habitabilidade, maiores oportunidades de emprego e serviços básicos que dignifiquem a população, apontou o fornecimento de energia e água, o nível agravado de vulnerabilidade das famílias por conta da Covid-19 e a desflorestação descontrolada por parte dos garimpeiros como os principais problemas da municipalidade.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia