Economia

Empresários egípcios projectam fábrica de autocarros em Angola

Empresários egípcios manifestaram a intenção de instalar, em Angola, uma fábrica de autocarros para o sistema de transportes públicos, para atender as necessidades do mercado angolano e de outros países da África Austral, num encontro com o ministro Ricardo de Abreu, na quarta-feira.

24/06/2022  Última atualização 10H20
Representantes institucionais e empresariais de Angola e do Egipto durante o fórum © Fotografia por: DR

O projecto egípcio pode evoluir caso o ministro dos Transporte aceite o convite formulado pelos empresários do país do Norte de África durante o encontro, realizado à margem do Fórum Empresarial Angola-Egípto, realizado, em Luanda, de segunda a quarta-feira últimas.

Uma fonte dos Ministério das Relações Exteriores afirmou que os empresários egípcios solicitaram que o ministro dos Transportes se desloque àquele país para "constatar in loco a realidade do que pretendem implementar em Angola”.

O convite coincide com declarações proferidas na abertura do Fórum Empresarial, na terça-feira, pelo secretário de Estado para Cooperação Internacional e das Comunidades, Domingos Vieira Lopes, que disse que, na cooperação com o Egipto, Angola "pretende aproveitar o forte potencial da engenharia industrial, com destaque para os electrodomésticos, componentes automóveis e indústrias eléctricas”.

De acordo com a fonte, Domingos Vieira Lopes também declarou que o Executivo vai fortalecer a cooperação com o Egipto nos domínios comercial e industrial.

A fonte, um comunicado emitido, ontem, pelo Ministério das Relações Exteriores, indica que, num outro encontro, o ministro da Agricultura e Pescas solicitou dos empresários egípcios o estabelecimento de acções para viabilizarem os investimentos, apontando para a importância de se estabelecerem em Angola.

O secretário de Estado para a Energia, António da Costa, viu apresentado um projecto do grupo empresarial Energya Cables, que se propõe em instalar, no país, infra-estruturas para fabricação de cabos eléctricos de média e alta tensão, fornecer energia domestica e produzir aço.

Em resposta, o secretario de Estado indicou aos empresários a utilidade de contactos com a Agência de Apoio ao  Investimento Privado e Promoção das Exportações (APIEX) e com a Zona Económica Especial (ZEE) Luanda-Bengo, para identificação do espaço em que se vão instalar e outros actos.

A missão empresarial egípcia foi acompanhada, respectivamente, pelos embaixadores em Luanda e no Cairo, Nelson Cosme e Mohamed Safwat, nos encontros influenciados pela estratégia angolana anunciada, terça-feira, pelo secretário de Estado para a Cooperação Internacional e Comunidades.

Domingos Vieira Lopes disse, naquela ocasião, que Angola oferece aos empresários egípcios boas oportunidades de investimentos, considerando, também, ser a altura de os empresários angolanos aproveitarem para estabelecer parcerias de negócios com vantagens recíprocas.

O comunicado de imprensa em que estes dados são anunciados indica que o valor médio anual das exportações da indústria egípcia de máquinas e equipamentos rondou os 6,15 mil milhões de dólares de 2016 a 2019, com Angola a representar 0,01 por cento do total das exportações, só em 2021.

O embaixador no Egipto reafirmou, na terça-feira, que Angola vai continuar aberto às iniciativas de investimento estrangeiro, pelo que o Egipto, no quadro da cooperação bilateral, continua a ser um parceiro privilegiado.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia