Economia

Empresários angolanos desafiados a explorar mercado canadiano

Hélder Jeremias

Jornalista

O vice -presidente executivo da Câmara Internacional de Negócios Angola Canadá (CINAC), Adulai Baldé, disse, em Luanda, que a instituição está a capacitar a classe empresarial angolana com o objectivo de tirar maior proveito das potencialidades que o mercado do Canadá oferece.

14/09/2022  Última atualização 11H16
Os portos podem jogar um papel importante para o crescimento das Zonas Francas © Fotografia por: DR

O responsável que falava à imprensa, à margem do seminário sobre Zonas Francas, promovida pela CINAC, disse que Angola tem uma forte cooperação económica com o Canadá, o que implica desenvolver e potenciar o sector da Logística, através da modernização dos portos angolanos, numa altura em que está em forja a criação das Zonas Francas.

 Adulai Baldé defende a necessidade da capacitação de quadros angolanos, em particular os que estão ligados ao sector portuário, para  que se desenvolvam parcerias e se obtenham equipamentos a partir do Canadá.

 

Cooperação

As relações comerciais entre os dois países encontram-se numa fase embrionária, apesar de Angola exportar para o Canadá matéria-prima. Os equipamentos para o sector de Mineração e produtos agrícolas são os principais produtos que pesam na balança comercial.

Adulai Baldé garantiu que o intercâmbio poderá intensificar-se no sector dos Transportes, devido à aquisição de aeronaves da TAAG a partir daquele país.

Acrescentou também que a cidade de Vancouver (Canadá) acolhe, anualmente, o maior fórum dos portos a nível mundial, uma oportunidade que deve ser aproveitada para diversificar as relações económicas e internacionalizar as empresas angolanas.

"O Canadá não tem produtos de países tropicais, como Angola, e isto deve ser aproveitado pelos agricultores nacionais que, de forma organizada e integrada, possam exportar para o Canadá as necessidades que aquele mercado apresenta nesta área", informou, depois de salientar que o Canadá exporta produtos agrícolas do Ghana e o Quénia.

Por outro lado, frisou que o Canadá é o maior mercado de mineração do mundo, e acolhe o maior fórum mundial de mineração e, tendo em conta as potencialidades de Angola, "vamos tentar, de facto, ver como é que isto pode ser aproveitado a nível do empresariado nacional no sentido de potenciar os projectos mineiros".

O seminário sobre Zonas Francas, promovido pela CINAC, no quadro da constituição das Zonas Francas do Dande (Bengo), Cabinda e Luanda, decorre em Lu-anda, desde 12 até 16, e é dirigido aos empresários nacionais do ramo do Comércio e Logística.

 No certame, o especialista brasileiro Fabiano Canela está a ministrar vários temas, subdivididos em três acções de formação que configuram a estratégia da CINAC, com vista a dotar os técnicos angolanos de conhecimentos para maximizar os ganhos do surgimento das Zonas Francas para a economia nacional.   

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia