Economia

Empresa incrementa produção de material de construção

A empresa Sika Angola, subsidiária da empresa Sika Portugal – Produtos Construção Indústria, controlada pelo grupo suíço Sika, vai investir 500 mil dólares no próximo ano, para incrementar a produção de material de construção no país.

15/05/2020  Última atualização 08H25
DR

O valor vai servir para reforçar a capacidade das cinco linhas de produção, visando produzir, diariamente, 100 toneladas de produtos, como cimento-cola, argamassa e betão armado. A informação foi ontem avançada, em Luanda, pelo administrador da empresa, Ricardo Rocha, que também confirmou perdas no negócio, por força da pandemia do novo coronavírus, na ordem de 70 por cento, numa média de 500 mil dólares por mês.

A funcionar a meio gás por causa da Covid-19, a produção da Sika Angola baixou 50 por cento, por causa das medidas de prevenção contra a expansão da Covid-19, que forçou uma redução de pessoal de 45 para 22 trabalhadores. Segundo Ricardo Rocha, a medida está obrigar a em-presa a uma nova estratégia, apoiando a construção de novas infra-estruturas que devem arrancar brevemente. “Estamos prontos a trabalhar a 50 por cento, fornecendo produtos para impedir a propagação da Covid-19 em Angola”, disse.

A Sika Angola é fornecedora das construtoras envolvidas na construção da Barragem de Caculo Cabaza e de outros projectos de construção localizados na província do Zaire. Segundo o gestor, muitas vezes a empresa é obrigada a recorrer à importação de químicos, devido o pouco desenvolvimento do sector petroquímico nacional. A filial angolana, além de um armazém, detém uma fábrica onde são produzidos adjuvantes para betão, com uma facturação de 8 milhões de dólares por ano.

A Sika, é uma empresa especializada em produtos químicos para as áreas de construção e indústria, com presença internacional em mais de 80 países.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia