Sociedade

Empresa de detergentes sobrevive à crise da pandemia

A empresa de detergentes Basel Angola, com uma força de trabalho de 1.200 trabalhadores, entre os quais 50 expatriados e mais de 300 colaboradores, sobrevive, até ao momento, à crise da pandemia da Covid-19, sem promover despedimentos.

30/12/2020  Última atualização 10H27
A fábrica está disponível para fornecer quantidades necessárias que o mercado exige. © Fotografia por: DR
Criada em 2010, a fábrica produz as marcas de detergentes da Ultra, Madar, AMA e Glória.
 Segundo o director-geral, Hussein Khatoun, durante esta fase da pandemia, a empresa trabalha 24 horas por dia para satisfazer o mercado.
Hussein Khatoun assegura que foi aumentada a linha de distribuição e expandiram-se os produtos para todo o país, com uma frota de distribuição composta por uma centena de viaturas.

O director-geral anunciou que, em Março do próximo ano, o objectivo é aumentar a produção, com a entrada em funcionamento de uma linha de fabricação de sabão em barra. Terá a capacidade para produzir 4.000 toneladas por mês e, com isto, criará mais de 150 postos de trabalho.

Hussein Khatoun realçou que os produtos mais produzidos pela Basel são detergentes em pó, lixívia, lavaloiça, sabonete, ambientador de ar, sabonete líquido para mãos e beleza e álcool em gel.

Garante que o país está cada vez mais auto-sustentável com detergentes de limpeza, e a importação pode ser reduzida.
O director-geral esclareceu que, em termos de matérias-primas, a empresa está bem servida de produtos químicos e fragrâncias, provenientes da China, Índia, Rússia, Bélgica e Coreia do Sul.

 A produção de rótulos e caixas é local. "A nossa equipa trabalha ininterruptamente para encontrar soluções fáceis e eficazes de processos de desinfecção a serem adaptados e aplicados no lar, no ambiente de trabalho e em outros locais necessários", garantiu.

Aumento da produção

O director comercial da Basel, Paulo Gonçalves, garantiu que nos últimos meses deste ano a empresa duplicou a linha de produção de detergentes, saindo de três toneladas para sete, no sentido de satisfazer a procura durante a pandemia da Covid-19.
"A nossa fábrica está disponível para fornecer quantidades necessárias que o mercado exige. Temos fornecido produtos a clínicas, hospitais, estabelecimentos prisionais, farmácias e supermercados", garantiu.

Explicou que, além de Luanda, a empresa tem pontos de venda noutras províncias, que servem de distribuição para outras regiões.
Garantiu que os preços dos produtos da Basel não sofreram especulações na fase da pandemia, porque, sublinhou, existem equipas que controlam os revendedores.
 Afirmou que a Basel é a única fábrica que produz detergente em pó no país e lixívia, a partir do sal, com tecnologia de ponta proveniente da Itália.

Com o aumento da produção, referiu, espera-se cobrir mais de 60 por cento das necessidades do país, sublinhando que a fábrica tem capacidade de produzir, mensalmente, na linha de detergentes em pó, quatro mil toneladas e duas mil de lixívia. Na linha de sabão chega a produzir quatro mil toneladas e 800 toneladas de álcool em gel.

 As redes de distribuição da Basel em Luanda, durante a pandemia, estão canalizadas para os hospitais municipais de Viana, Queimados, Cajueiros, Centro de Acolhimento dos Idosos do Beiral, Centro Médico do Kifica, Capalanga, Hospital do Zango e Mãe Jacinta

 A empresa, localizada no município de Viana, arrancou com um investimento de cinco milhões de dólares e, hoje já atingiu mais de 30 milhões. Tem 1.200 funcionários, sendo setenta por cento homens e 30 por cento mulheres.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade