Sociedade

Empresa de Águas local há dois meses sem pagar

Manuel Fontoura | Ndalatando

Jornalista

A Empresa Provincial de Águas e Saneamento (EPASKN) do Cuanza-Norte está há dois meses sem proceder ao pagamento de salários dos seus trabalhadores, em consequência do bloqueio das suas contas bancárias, revelou o administrador para a Área Comercial da instituição.

19/06/2021  Última atualização 08H50
© Fotografia por: DR
Estêvão Benjamim explicou que o fecho das contas é resultante de uma dívida, no valor de 125 milhões de kwanzas, contraída à Administração Geral Tributária (AGT), instituição com a qual tem tentado várias negociações, mas sem sucesso.
Em função desse bloqueio de contas, disse que a direcção está sem soluções para satisfazer certas exigências dos trabalhadores, constantes num caderno reivindicativo. A par disso, avançou que, nos próximos dias, os funcionários ameaçam paralisar as actividades, devido à falta de pagamento dos dois salários.

O administrador para a Área Comercial da EPASKN referiu que, devido ao problema com a AGT, receia-se, igualmente, a penhora de outros bens da empresa, entre os quais as instalações onde a instituição funciona.Estêvão Benjamim salientou que, se a situação prevalecer, o abastecimento regular de água à cidade de Ndalatando pode ficar comprometido, nos próximos dias.

Como uma das soluções para minimizar a crise, o administrador aponta a recuperação de cerca de 12 milhões de kwanzas junto de instituições públicas que devem e não pagam o consumo de água há mais de três anos."Vamos ser obrigados, agora, a levar a cabo uma campanha de corte. A mesma vai abranger todos os consumidores, incluindo as instituições públicas, salvaguardando os hospitais e escolas”, disse.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade