Economia

Empreiteiros foram autorizados a operar

O Instituto Regulador da Construção Civil e Obras Públicas (IRCCOP) atribuiu, quinta-feira, em Saurimo, títulos de registo e alvarás a 56 empresas do sector, viabilizando a actividade dessas companhias nos próximos três anos.

21/03/2020  Última atualização 16H24
Arão Martins | Edições Novembro | Arquivo © Fotografia por: Construtoras obtêm licenças de operação em processos simplificados

A chefe de Departamento do IRCCOP Manuela da Costa explicou, no acto de entrega dos alvarás, que a atribuição de novos títulos resulta de uma estratégia de desburocratização e simplificação dos serviços de licenciamento em todo o país.
Manuela da Costa incentivou os empreiteiros a respeitarem a legislação em vigor, realçando que os títulos e alvarás são documentos necessários para garantir a credibilidade das empresas do sector da construção civil.
Presente na cerimónia, o vice-governador para a área Técnica e Infra-estruturas, Evanerson Kaputo, referiu que os documentos outorgados permitem aos empresários operarem sem constrangimentos e facilitam o acesso a financiamentos e aos concursos públicos para execução de obras na província da Lunda-Sul.
Dívidas às Águas
A dívida acumulada à Empresa Provincial de Águas e Saneamento (EPAS), na Lunda-Sul ascende aos 140 milhões de kwanzas, revelou ao Jornal de Angola o presidente do Conselho de Administração, Agostinho Piedade, que lamentou os incumprimentos sucessivos dos consumidores.
Agostinho Piedade explicou que desse valor, 16 milhões representam a dívida de 21 instituições públicas e acrescentou que a EPAS tem vindo a desenvolver, desde Fevereiro, acções de sensibilização dos consumidores para a liquidação faseada das contas.
Adiantou, por outro lado, que a falta desses recursos está a inviabilizar investimentos na construção de sistemas de abastecimentos de água nas sedes municipais e comunais, bem como a ampliação da Estação de Tratamento de Água (ETA) de Saurimo.
A Empresa Provincial de Águas e Saneamento tem mais de 5.800 clientes, mas só os particulares cumprem com o pagamento regular de consumo, seguindo as instruções da empresa para evitarem cortes.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia