Política

Embaixador dos EUA nega interferência no processo eleitoral

Hélder Jeremias

Jornalista

O embaixador dos Estados Unidos da América, Tulinabo Mushingi, negou, esta quinta-feira, em Luanda, qualquer interferência no processo eleitoral angolano.

05/08/2022  Última atualização 19H59
© Fotografia por: EDIÇÕES NOVEMBRO

O diplomata teceu estas declarações  durante a cerimónia de celebração dos cinco anos de fundação da Câmara de Comércio Americana em Angola (AmCham-Angola), em resposta as questões colocadas pelos jornalistas sobre um alegado envolvimento dos EUA nas Eleições Gerais de 24 de Agosto

Tulinabo Mushingi assegurou que  não pode haver qualquer interferência  da parte dos EUA, pois a orientação da Administração americana é para trabalhar com o Governo de Angola, apoiando as reformas que estão a ser implementadas para o aprofundamento das relações entre os dois povos, com benefícios económicos mútuos

"Não vamos interferir, pois é um momento crucial para o país, na medida em que eleições, quer seja nos Estados Unidos, quer seja em Angola ou em qualquer outro país, são um momento onde diferentes partidos políticos explicam aos eleitores o que vão fazer em caso de vitória", sublinhou.

Acrescentou: "É um assunto dos angolanos e nós não podemos nos imiscuir nele, ou seja, cabe aos partidos divulgar as suas agendas e é o povo a quem cabe a escolha, no dia 24 de Agosto, aquele que melhor o convencer", concluiu o embaixador Tulinabo Mushingi.

 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política