Sociedade

Elisal promete rapidez e eficiência na recolha e transporte de resíduos

Yara Simão

Jornalista

Cazenga é o município com maior dificuldade de se recolher o lixo durante a noite, por causa da delinquência

18/06/2021  Última atualização 05H55
© Fotografia por: Santos Pedro| Edições Novembro
Ao inicio da noite começa a caminhada para o local de trabalho dos "guerreiros” da Elisal. Devido ao trabalho nocturno que prestam, alguns trabalhadores aproveitam o dia  para dormir e se recomporem do cansaço da noite.

João Alexandre trabalha na Elisal há mais de oito anos como colector de lixo. Afirma que gosta do trabalho que faz e não se envergonha de nada. "No princípio não gostava, mas sabendo que tenho filhos para sustentar, comecei a trabalhar  e sinto-me orgulhoso”, disse com descontracção.

O entrevistado do Jornal de Angola apela aos jovens que se encontram no desemprego para não se sentirem  envergonhados  em trabalhar na limpeza e recolha de lixo.  As equipas de limpeza dão  o  melhor para salubridade da cidade de Luanda. Há equipas que começam a trabalhar às 7 horas e terminam  às 16 horas. Estas equipas fazem a recolha dos contentores de 1.2,  1.100, 1.3,  5m³ e 7m³, em Luanda.

As equipas nocturnas estão divididas em grupo A e B. Começam a trabalhar às 19h30 minutos e terminam às 6 horas da manhã. Quando chegam a empresa encontram o mapa de circuito de como vão actuar nos municípios do Cazenga e Luanda.


O município do Cazenga tem sido a localidade com maior  dificuldade de recolher o lixo durante a noite, por causa da delinquência. "Eu já fui assaltado e meus colegas também. Tem sido muito difícil para nós que estamos no turno da noite”, disse.

João Alexandre aponta ainda os resíduos vegetais como outra preocupação. Vários cidadãos efectuam poda de árvores e depositam-nas nos contentores de lixo, dificultando o trabalho. "Apelamos às administrações a terem em atenção esse detalhe”.


Aconselha que antes de se podar uma árvore, o cidadão deve se dirigir à administração local, de acordo com as medidas do Governo Provincial de Luanda, para não correr o risco de ser multado por transgressão administrativa. "A Elisal tem feito muito na sua actividade diária.

Pedimos a máxima colaboração da população para fazer a deposição dos resíduos no horário normal, não colocando os resíduos de forma desordenada, porque tem havido muito transtorno na recolha”, precisou.

A missão, continuou, é tornar Luanda mais limpa e verde, por isso a aposta está também na manutenção dos espaços verdes.   "Sabemos da necessidade de conservar os espaços verdes, potenciando um ambiente cada vez mais saudável, por isso,  além da recolha de resíduos, a Elisal aposta fortemente no trabalho de embelezamento, corte de relva, poda e abate de árvore”.

A Elisal aumentou os contentores na via pública para permitir maior rapidez e qualidade na operação de recolha e transporte dos resíduos sólidos ao aterro sanitário. Actualmente, a empresa é responsável pela limpeza e recolha de resíduos no município do Cazenga, com 322 contentores, e a cidade Luanda, com 580.

No que concerne ao equipamento existente, para um bom trabalho, conta com vários meios, com destaque para camiões compactadores, camiões combinados,  de sucção, camiões gruas, basculantes,   multibenne, Rool off Typer, mini-pá carregadora, pá-carregadora, tractores,   grua de grande porte, camião cisterna, etc.



Criação de novos postos de trabalho



No âmbito do fomento do empreendedorismo e criação de novos postos de empregos, a Elisal convidou pequenas empresas para participarem no processo de varredura urbana e capina, nos municípios do Cazenga e Luanda. Foi elaborado um caderno de encargos apresentado às  empresas interessadas.

Com objectivo de fazer do cidadão parte integrante do processo de limpeza, a Elisal implementou uma campanha de sensibilização em várias artérias da capital.
Técnicos da empresa aconselham a população a manter as casas e zonas circundantes limpas, a colocar o lixo no contentor e não deixar que sejam as crianças a fazê-lo. Ensinam métodos de tratamento do lixo, além de sugerirem o melhor horário para colocar os resíduos no contentor, sem criar transtornos para operadora. A campanha de sensibilização prosseguirá até ao final do ano e visa também criar proximidade entre a operadora e a população, assim como motivar o exercício de cidadania.


Agentes económicos sujeitos a contratos.

 Os agentes económicos (hotelaria, construção, estabelecimentos comerciais) nos municípios do Cazenga e Luanda devem efectuar um contrato de recolha de resíduos sólidos com a Elisal, de acordo com um instrutivo do Governo Provincial de Luanda (GPL).

O documento estabelece que os agentes económicos devem  proceder o pagamento dos serviços de recolha dos resíduos sólidos às operadoras contratadas, no município em que se encontram. Deste modo, os agentes situados no Cazenga e Luanda têm que proceder o envio de uma estimativa de produção de lixo a Elisal, assim como devem efectuar limpeza nas áreas circundantes aos seus estabelecimentos, num raio de até 50 metros.

Por outro lado, de acordo com o documento, a Elisal deve ser notificada, previamente, sempre que se preveja a produção de lixo pontual, de forma que sejam garantidas as acções necessárias para o correcto tratamento, acondicionamento e recolha do mesmo.


Pensão dos reformados

Dos 355 funcionários que vão para reforma este ano, 80 atingiram a aposentadoria há três anos, mas não podem entrar para reforma pelo facto de a empresa ter uma dívida de mais de mil milhões de kwanzas com a Segurança Social.  Fontes da  empresa garantem, entretanto, que a dívida já foi regularizada  e este ano volta tudo à normalidade.

Dos 355, 160 funcionários vão para reforma de forma antecipada, pelo facto de exercerem actividade profissional penosa e desgastante. São os casos dos funcionários com 50 anos de idade e com 15 anos de serviço, de acordo com o Decreto Presidencial 299, nº 2 do artigo 5º.
Além da Segurança Social, a Elisal teve que regularizar, também, uma dívida de mais de 192 milhões de Imposto de Rendimento de Trabalho  (IRT). A Elisal que existe desde 29 de Junho de 1991, conta com 1840 trabalhadores, entre permanentes e colaboradores.


Objectivo a alcançar

Liderar a transformação do paradigma de gestão de resíduos em Luanda, implementando procedimentos de excelência, na limpeza, recolha, tratamento, valorização e deposição final de resíduos, que contribuam para a melhoria significativa da qualidade de vida dos munícipes, é a principal meta a alcançar, segundo o presidente do Conselho de Administração, Gonçalves Imperial.

O responsável realçou a necessidade do aumento da capacidade operacional de recolha de resíduos, limpeza urbana, lavagem de ruas, passeios, acrescentando que mais sete camiões compactadores entraram em circulação esta semana, no âmbito do reforço dos meios da empresa.

"Nossa visão é assegurar a saúde pública e a protecção do meio ambiente, através de uma gestão integrada de resíduos para acabar com o impacto negativo do mau tratamento dos resíduos na saúde”, refere o PCA da Elisal, acrescentando que a ideia é assegurar a saúde pública e a protecção do meio ambiente da população e através de uma gestão integrada de resíduos que garanta a minimização do seu custo para os munícipes, envolvendo os colaboradores, a sociedade civil e as entidades empresariais no processo de valorização de resíduos.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade