Política

Eleições Gerais 2022:Tempo de Antena

Xavier António

Jornalista

As forças políticas concorrentes observaram, esta quarta-feira, o décimo dia da exploração do Tempo de Antena, no seguimento da campanha às Eleições Gerais de 24 de Agosto, no qual procuram reforçar as acções políticas implementadas para conquistar o voto do eleitorado. Mostramos, com base na apreciação jornalística, o que “eles disseram nos tempos na Rádio”.

04/08/2022  Última atualização 12H26
© Fotografia por: DR

MPLA

O MPLA destacou, esta quarta feira, que as obras das centralidades geram empregos nas províncias onde estão a ser construídas, referindo que muitas estão prontas e a mudar as paisagens e a vida de milhares de pessoas.

"São bairros novos, com iluminação pública, água potável, escolas, parques de diversão, mercados, postos de saúde, farmácias e transportes”, detalhou o partido no poder em Angola no seu Tempo de Antena na Rádio Nacional de Angola.

Durante os cinco anos, acrescenta, foram concluídas 14 centralidades e duas urbanizações que realizaram o sonho de mais de 42 mil famílias.  Segundo o candidato do MPLA a Presidente da República, João Lourenço, para um pai e mãe não existe maior desejo que o de possuir a casa própria: "Um lugar onde possa criar os filhos em paz e tranquilidade”.

"Para as mais de 42 mil famílias, as centralidades são a realização deste sonho”, disse antes de acrescentar que um dos focos do seu governo continuará a ser os projectos de habitação social distribuídos por todas as províncias.

Ao longo do seu espaço de antena, o partido deu ênfase, igualmente, aos mais de dois mil projectos inseridos no Plano de Intervenção nos Municípios (PIIM) que estão a levar desenvolvimento a todas as províncias.

 

UNITA

A UNITA ressaltou que concorre  nestas eleições gerais, marcadas para 24 de Agosto, para conquistar nas urnas o poder político e exercê-lo, em caso de vitória, com o povo "em nome do povo e para o bem do povo”.

Durante o Tempo de Antena, o maior partido na oposição emitiu a trajectória do líder e fundador da UNITA que, se estivesse em vida, completaria, ontem, 88 anos. Ao longo do programa, foram também emitidos alguns pronunciamentos de Jonas Savimbi.

O partido destacou a marcha realizada na Praça da República, na província do Bié, pelo presidente Adalberto Costa Júnior, tendo apresentado as propostas que prevê realizar caso vença as eleições de 24 de Agosto. Em Lopitanga, no Andulo, o actual líder do "galo negro” rendeu homenagem ao fundador da UNITA.

 

CASA-CE

Esta coligação diz que se for governo no período 2022-2027 vai assumir o compromisso de corresponder com os anseios e expectativas de todos os cidadãos angolanos, com a meta de realizar uma sociedade justa, inclusiva e democrática, assente nos valores da liberdade e do progresso.

No seu programa, promete adoptar os princípios da boa governação como a ética, honestidade, transparência, profissionalismo e patriotismo como pilares estruturantes de toda a acção governativa.

A CASA-CE definiu, também, como prioridades a promoção, protecção da família, da infância, juventude, idosos, da pessoa com deficiência e dos grupos minoritários e vulneráveis.

Em caso de vitória nas eleições de 24 de Agosto promete reformar o Estado, apostar no capital humano, sanear a economia, relançar a produção, incentivar a criatividade e dialogar mais com a sociedade civil.

 

PRS

O Partido de Renovação Social propõe, no programa de governação 2022-2027, a promoção e defesa de um sistema nacional de saúde centrado no cidadão, nas famílias, comunidades, "com qualidade, equidade e segurança”.

Segundo o presidente do PRS, Benedito Daniel, a saúde é primordial para todos os cidadãos, sublinhando que "onde não há saúde não se faz nada”.  No Tempo de Antena, o político defendeu que a saúde não se limita apenas na construção de infra-estruturas, mas num esforço conjugado com técnicos competentes, entre outros.

"Queremos ter um Sistema Nacional de Saúde que tenha estruturas e funcionários competentes, assistência médica e medicamentosa e seguro de saúde para os utentes”, disse. O combate à fome e à pobreza, referiu, passa necessariamente pela produção local adequada a cada região. "Com vista a alcançar a auto-suficiência alimentar nos próximos cincos anos, uma atenção será dada ao sector agro-pecuário”.

 

FNLA

Por seu turno, a Frente Nacional de Libertação de Angola apelou aos antigos combatentes a votarem no seu candidato a Presidente da República. Se vencer o pleito eleitoral, o partido promete melhorar a vida dos antigos combatentes por entender que "conhece todos os valores que estes guerreiros fizeram em prol do país”.

 

APN

A Aliança Patriótica Nacional promete estimular os laços das famílias com base nos valores e princípios enraizados nas suas origens, antes de acrescentar que a juventude é a força de qualquer nação.

Segundo a APN, a juventude move os sectores da Educação, Saúde, Agricultura, Defesa e Segurança, entre outros ramos da economia nacional. "Uma nação sem jovens é frágil e vulnerável”.

Para esta força política, os jovens angolanos são pa-triotas, amam e acreditam na nação angolana, mas defende ser preciso que os seus sonhos sejam realizados. Em caso de vitória nas Eleições Ge-rais, esta franja da sociedade "será prioridade no governo da APN”.

 

P-NJANGO

O Partido Nacionalista para a Justiça em Angola entende que para se ter uma economia formal em Angola deve se primar pela mobilidade segura das populações e na construção de vias de comunicação para fomentar o empresariado nacional. No seu programa de governação, o partido propõe melhorias na actual rede ferroviária, aposta em metrôs de superfície, comboios mais velozes e interligar as actuais linhas férreas existentes. 

Caso vença as quintas eleições gerais, promete melhorar a sinalização rodoviária, ferroviária e marítima, de modo a assegurar a vida de todos os cidadãos, bem como alargar as vias secundárias e terciárias para aproximar as comunidades.

 

PHA

O Partido Humanista de Angola não transmitiu, ontem, qualquer declaração nos habituais dez minutos do Espaço de Antena.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política