Política

Eleições Gerais 2022:Tempo de Antena das forças políticas

Xavier António

Jornalista

As forças políticas concorrentes observaram, esta segunda-feira, o nono dia da exploração do Tempo de Antena, no seguimento da campanha às Eleições Gerais de 24 de Agosto, no qual procuram reforçar as acções políticas implementadas para conquistar o voto do eleitorado. Mostramos, com base na apreciação jornalística, o que “eles disseram nos tempos na Rádio”.

02/08/2022  Última atualização 08H14
© Fotografia por: DR

MPLA

Um país com terras aráveis, sol e água em abundância deve apostar "seriamente na Agricultura", afirmou, ontem, o líder do MPLA e candidato a Presidente da República nas Eleições Gerais de 24 de Agosto, João Lourenço. 

"Angola é um dos cinco países com maior potencial agrícola do mundo. A Agricultura hoje não é só plantar: é conhecimento, tecnologia e pesquisa", salientou João Lourenço, antes de acrescentar que esta tem sido a aposta  do Executivo para tornar Angola numa potência agrícola.

Na visão do líder do MPLA, urge a necessidade de mostrar aos homens de negócios, mas também aqueles que estão sem trabalho ou fonte de renda que na Agricultura tem espaço para todos crescerem e ganharem dinheiro. "Do grande ao pequeno produtor quem quiser produzir alimentos terá apoio e incentivo do Governo", assegurou o presidente do partido dos "camaradas" no seu Tempo de Antena na Rádio Nacional de Angola, no quadro da campanha eleitoral.   

João Lourenço recordou, também, que o mundo enfrenta uma crise alimentar como consequência do conflito na Europa e das alterações climáticas. "O trigo e o óleo de soja se transformaram em ouro". Nesta conjuntura, disse, Angola tem uma oportunidade numa nova fronteira agrícola que se abre para o mundo para os grandes e pequenos empreendedores nacionais e estrangeiros.

Referiu que o país está a construir um sector agrícola para alimentar os angolanos e exportar. Para o MPLA, regista-se um aumento na produção de cereais, frutas, café, ovos, legumes e cana-de-açúcar com o sector agrícola, pecuária e florestas a mostrar um crescimento de 5,6 por cento.

UNITA

O partido do "galo negro" destacou que a família representa o núcleo fundamental da sociedade. O seu líder sublinhou ser, também, a base da sociedade, da política e da moral. Constitui o alicerce da construção da organização do Estado.

A solução dos problemas sociais, refere a UNITA, que as famílias enfrentam requerem medidas e políticas inovadoras e integradoras que tenham no epicentro o papel dos pais no processo da edificação do lar, educação e orientação dos filhos com o apoio do Governo e das igrejas.

A UNITA, caso vença as eleições, diz que se compromete incrementar um novo sistema de protecção social sustentável através do abono familiar para acudir as famílias mais carenciadas.

O partido promete, igualmente, combater o tráfico de menores, pedofilia, gravidez precoce, o drama da feitiçaria e "garantir a protecção dos idosos". O candidato da UNITA a Presidente da República, Adalberto Costa Júnior, realçou: "o nosso continente tem um nome feminino: África e o país também: Angola, a força da mulher". 

CASA-CE

A Convergência Ampla de Salvação de Angola - Coligação Eleitoral reafirmou que promete implementar as autarquias locais em 2024: "Precisamos de implementar no país uma governação próxima e participativa junto do cidadão com o objectivo de pôr fim às assimetrias que existem em diversos municípios''.

Segundo a CASA-CE, com a implementação das autarquias haverá mais desenvolvimentos a nível dos municípios e poderá ter infra-estruturas que respondem à exigência da população.

A CASA-CE propõe a atribuição de uma quota de 20 por cento para o sector da Saúde no Orçamento Geral do Estado (OGE) e um valor aproximado aos 20 por cento para a Educação.    

FNLA

A FNLA defendeu que "a política externa deve ser o reflexo da política interna", tendo como prioridades os interesses do povo e do Estado angolano. No programa de governo, o partido promete praticar uma diplomacia mais activa no plano político, diplomático, bem como equilibrar as relações de Angola a todos os níveis com os países vizinhos com maior solidariedade e cooperação.

"Cooperar com as diversas organizações internacionais políticas, económicas e financeiras, colocando em primeiro plano as cartas das Nações Unidas e da União Africana", constam também dos principais eixos de governação da FNLA. 

No plano económico, o partido pretende melhorar a balança comercial e diversificar as exportações, bem como participar activamente nos agrupamentos e mercados regionais. 

PRS

O presidente do Partido de Renovação Social, Benedito Daniel, apelou, no seu Tempo de Antena, à preservação da cultura angolana. No entender do candidato do PRS a Presidente da República, tem-se observado pouca valorização da "cultura", para quem existe uma ideia de mentalizar que aquilo que "é africano e angolano genuinamente não tem valor".

Esta força política considera também que o seu presidente Benedito Daniel é o homem que o país espera e mostra-se confiante para governar Angola, caso vença as eleições gerais.  

PHA

O Partido Humanista de Angola referiu que deseja ganhar as Eleições Gerais de 24 de Agosto para colocar o ser humano no centro das preocupações.  Na sua intervenção, a líder do partido, Bela Malaquias, reiterou que a proposta de gover-no tem os pilares assentes naquilo que é essencial para a vida humana, com destaque para o vestuário, Saúde, habitação, água e trabalho.

Bela Malaquias reforçou que o PHA surge para solucionar alguns problemas que os angolanos ainda enfrentam, tendo, na ocasião, apelado ao voto nas eleições gerais.

APN

 A Aliança Patriótica Nacional acredita que as melhorias no sector da Saúde serão resolvidas com o seu programa de governação. O partido disse que conhece os "caminhos" para assegurar uma saúde cada vez melhor para todos os angolanos. Reiterou a aposta nos cuidados das pessoas que vivem com doenças crónicas.

Em relação à Agricultura, a APN sublinha a necessidade da contínua aposta neste sector, aproveitando ao máximo as potencialidades existentes no país. Para a APN, Angola tem potencial para se tornar um dos países líderes neste ramo".  

P-NJANGO

O Partido Nacionalista para a Justiça de Angola informou que a proposta de governo, em caso de vitória nas urnas, tem como prioridade o fomento da construção de mais habitações no país.

O partido promete estimular a rede de cooperativas habitacionais, melhorar o acesso ao crédito jovem para permitir a primeira habitação a esta franja da sociedade. Assegura que vai desenvolver as parcerias público-privadas no âmbito do fomento habitacional.

O partido pretende, igualmente, ampliar a rede de casas do idoso e lares dos antigos combatentes e incentivar o alargamento das cidades universitárias em todo o país. Por essa razão, o partido de Dinho Chingunji apela ao voto da juventude nas eleições de 24 de Agosto.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política