Regiões

Efeitos da seca afectam mais de 34 mil famílias

Arão Martins | Lubango

Jornalista

Mais de 34 mil famílias, que vivem no município da Chicomba, situado a 220 quilómetros da cidade do Lubango, província da Huíla, estão a passar por enormes dificuldades devido aos efeitos da seca, informou ao Jornal de Angola o director municipal da Agricultura, Pecuária e Pescas.

14/06/2021  Última atualização 08H45
© Fotografia por: DR
Wilson Cabral disse que, o maior número de famílias nestas condições vivem nas localidades de Kutenda, comuna sede (Chicomba) e Libongue.

Segundo responsável, as consequências da estiagem estão a assolar 374 aldeias do município, onde existem cerca de 200 mil habitantes. "Estas localidades constituem o maior centro de produção de milho da província”.

 A Direcção Municipal da Agricultura de Chicomba, revelou, está a envidar esforços para a construção de pequenos bebedouros para o gado, junto de furos de água que as localidades têm.

Em face desta contrariedade, Wilson Cabral defende a intensificação urgente da actividade piscatória nas comunidades. "Temos de apoiar os pequenos produtores, fornecendo-lhes redes, canoas e anzóis, com vista ao fomento da actividade no município”, explicou. "As famílias que vivem distante dos rios”, prosseguiu, " as mais afectadas pela seca, por não terem como regar as culturas, têm de se incentivadas a desenvolverem a apicultura”.

Wilson Cabral fez saber que os habitantes de Chicomba que passam por dificuldades por falta devido a falta de chuva, estão a ser organizadas em grupos para receberem apoios com mais facilidade. " Estamos a ver a hipótese de distribuir galinhas e gado de tracção animal para estas famílias, para que possa conter rendimentos e sobreviverem em grandes apertos”, assegurou.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões