Regiões

Educação paga dívida contraída a alfabetizadores

Weza Pascoal | Menongue

Jornalista

O sector da Educação a nível do Cuando Cubango já procedeu ao pagamento dos subsídios em atrasos, referentes ao período de 2017 a 2019, a pelo menos 451 alfabetizadores e facilitadores, enquadrados no Programa de Alfabetização e Aceleração Escolar.

01/05/2022  Última atualização 06H45
© Fotografia por: DR

O coordenador do Programa de Alfabetização e Aceleração Escolar, Francisco Kambinda, explicou que, para efectivar os referidos pagamentos, até ao mês de Fevereio, o Ministério das Finanças disponibilizou mais de 92 milhões de kwanzas ao Gabinete Provincial da Educação do Cuando Cubango.

O Gabinete Provincial da Educação está a envidar esforços para proceder ao pagamento da dívida de um total de 1.023 contratos dos alfabetizadores e facilitadores, contraída num período de três anos.

Francisco Kambinda explicou que o pagamento a 451 alfabetizadores e facilitadores corresponde à liquidação de 778 contratos pagos, faltando apenas 245 contratos, correspondentes a 163 agentes que não receberam os ordenados, por falta de Bilhetes de Identidade actualizados e de contas bancárias.

Acrescentou que tão logo essea agentes apresentem toda a documentação necessária, a sua situação será, igualmente, resolvida. "Os alfabetizadores e facilitadores estão a receber o valor total da dívida dos três anos”, garantiu.

O responsável da Área de Alfabetização do Cuando Cubango explicou que o contrato do ano lectivo para este nível de ensino é de nove meses, com o pagamento mensal a cada alfabetizador de dez mil kwanzas, que corresponde a 90 mil kwanzas anuais.

Francisco Kambinda disse que a intenção do Gabinete Provincial da Educação é liquidar os salários em atraso o mais breve possível, para permitir a reorganização da actividade do sector, tendo em conta que o processo de alfabetização com o recurso a professores contratados está paralisado na província, desde 2019.

Actualmente, Cuando Cubango conta com 97 alfabetizadores e facilitadores voluntários, provenientes de distintas igrejas, Organização da Mulher Angolana (OMA) e da ONG Operação Mobilização, que têm desenvolvido as actividades viradas, maioritariamente, aos Khoisan.

"Fruto disso, no presente ano lectivo, mais de 30 membros desta comunidade aprenderam a ler e escrever”, ressaltou o responsável, para mencionar os municípios de Menongue, Cuito Cuanavale e Cuchi como os que apresentam um maior número de alfabetizandos.

Para o presente ano lectivo, estão matriculados 8.307 alfabetizandos, sendo que 2.804 frequentam o módulo I, que corresponde ao ensino pré-escolar, 2.804 no módulo II (segunda e terceira classe) e 2.216 no módulo III, distribuídos em 97 turmas.  

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões