Sociedade

Edições Novembro regulariza as dívidas

Alexa Sonhi

Jornalista

O processo de liquidação da dívida que a Edições Novembro tem com o Instituto Nacional de Segurança Social (INSS), na ordem dos três mil e trezentos milhões de kwanzas, já está em curso, garantiu, sexta-feira (20), em Luanda, o ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social (MINTTICS).

21/05/2022  Última atualização 10H15
Manuel Homem visitou as obras no JA e inaugurou a sede do JD © Fotografia por: Kindala Manuel | Edições Novembro

Manuel Homem, ao discursar no acto de inauguração das novas instalações do Jornal dos Desportos, disse que a mesma realidade já é visível em outros órgãos do sector. "O mais recente foi com a Televisão Pública de Angola, que tinha, igualmente, uma dívida  bastante onerosa com o INSS", salientou.

O ministro assegurou que o Executivo vai continuar empenhado na melhorias das condições sociais, de trabalho e do exercício da actividade da comunicação social em Angola, de modo a assegurar o pluralismo de expressão, como garantia da liberdade de imprensa, tal como estabelece a Constituição da República.

 Relativamente à inauguração, Manuel Homem disse que o passo agora dado enquadra-se no conjunto de acções que visam a melhoria das condições de trabalho, que decorre no âmbito do projecto de modernização da empresa.

"Este foi um desafio lançado ao Conselho de Administração da Edições Novembro,  que tem merecido a pronta resolução. Apelamos a prosseguirem com o processo de modernização da empresa e a melhorarem a eficiência organizacional", disse o ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social.

Manuel Homem elogiou a implementação do qualificador ocupacional, uma preocupação justa do Sindicato dos Jornalistas Angolanos e dos trabalhadores que o Executivo atendeu em todas as empresas públicas do sector da Comunicação Social. Recomendou a contínua avaliação do processo, até que se obtenha o equilíbrio que se impõe.  

Outro passo dado pela empresa e que o ministro fez questão de realçar é a melhoria  das condições de transporte colectivo, incentivando o Conselho de Administração a alargar  o processo a todas as áreas, de Cabinda ao Cunene.

A par das obras de melhoria das condições que foram feitas nas novas instalações do Jornal dos Despertos, inauguradas, ontem, a sede do Jorna de Angola, também, está a beneficiar de obras de ampliação e modernização , merecendo, por isso, uma visita de constatação do ministro do MINTTICS.

O presidente do Conselho de Administração das Edições Novembro, Drumond Jaime, disse que as obras estão a ser feitas na parte interna das instalações ,onde está a ser erguido um edifício de dois andares. 

"Apenas estamos a mexer na parte interna  do Jornal de Angola, para se preservar a imagem do edifício, tendo em conta a sua classificação como Património Histórico Cultural, pelo Ministério da Cultura", realçou. 

Segundo Drumond Jaime, as obras eram necessárias, dado o elevado estado de degradação das instalações,  que, além de colocar em risco a permanência do edifício, também não  conferiam dignidade aos trabalhadores. 

O PCA da Edições Novembro acrescentou que as obras de ampliação e modernização da sede do Jornal de Angola terão a duração de aproximadamente dois meses. No novo edifício vai funcionar  a redacção central do Jornal de Angola, enquanto que na outra parte estarão o Conselho de Administração e demais serviços da empresa.

A Edições Novembro é a proprietária do Jornal de Angola, Jornal dos Desportos, Economia e Finanças, Metropolitano e de vários títulos regionais.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade