Economia

EAU e Angola reforçam cooperação económica

Os Emirados Árabes Unidos (EAU) reafirmaram o interesse de aprofundar as relações existentes entre Angola e lançar as bases para o fortalecimento da cooperação nos sectores da Agricultura, Pecuária, Pescas e Indústria Transformadora.

22/09/2021  Última atualização 18H17
Delegação do Ministério da Agricultura e Pescas nos EAU © Fotografia por: Cedida

Essa intenção foi manifestada durante a recente visita efectuada por uma delegação do Ministério da Agricultura e Pescas àquele país do Médio Oriente, encabeçada pelo secretário de Estado para a Agricultura e Pecuária, João Manuel Bartolomeu da Cunha.

No âmbito da promoção da diplomacia económica, há cada vez mais interesse de o reforço dos laços de amizade e de cooperação entre Angola e os Emirados Árabes Unidos (EAU).

Na sequência das conversações no Ministério do Ambiente e Alterações Climáticas (MOCCAE), as partes concluíram que os grupos técnicos deverão elaborar uma proposta de Memorando de Entendimento que constituirá instrumento de base, para a apreciação e decisão dos órgãos competentes.

No périplo de trabalho dos responsáveis da Agricultura e Pescas aos EAU, que decorreu de 31 de Agosto a 07 de Setembro de 2021, destaca-se a necessidade da captação de investimento, principalmente, nas áreas identificadas pelo Governo angolano como sectores chave para a diversificação da economia.

Foi igualmente manifestado pelas empresas públicas e privadas dos EAU o interesse na obtenção de concessões de áreas para a produção agro-pecuária, exploração florestal, transformação de madeira, apicultura, pesca extractiva, transformação de produtos da pesca, desenvolvimento da maricultura e aquicultura continental.

A parte angolana prometeu trabalhar para materialização das intenções apresentadas pelos potenciais parceiros emiratis e reiterou o convite para que os mesmos se desloquem a Angola no mais curto espaço de tempo. E preveem assinar, ainda este ano, acordos de cooperação nos domínios chaves da economia nacional.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia