Cultura

“É impossível falar do percurso do teatro sem mencionar Neto”

Roque Silva

Jornalista

A figura e os feitos do primeiro Presidente de Angola, António Agostinho Neto, são indissociavelmente ligados à História do Teatro Angolano, porquanto foi um dos grandes artífices da luta de libertação nacional, afirmou em Catete, o historiador Africano Cangombe.

15/06/2022  Última atualização 10H25
© Fotografia por: DR

Professor e precursor do teatro no país, que dissertava no Centro Cultural Dr. António Agostinho Neto, sobre o "Percurso Histórico e características do Teatro Angolano”, disse que o teatro tem características próprias, assentes na historiografia, cultura, usos e costumes dos seus povos.

Africano Cangombe referiu que "Neto também promoveu o teatro” com suas obras e feitos, atitudes que ajudaram a desencadear uma onda acções nos bairros periféricos de carácter político.

Os seus poemas, disse o historiador, são uma reprodução da vida e dos traços culturais dos angolanos, além dos seus feitos, muitos dos quais levados aos palcos.

"Existem muitos elementos teatrais na obra de Neto”, reafirmou o historiador, para quem Agostinho Neto é uma figura incontornável para a Cultura Nacional, por a sua obra ter uma representação considerável em peças de encenadas.

Segundo Africano Cangombe, apesar de pouco documentada, a actividade teatral no tempo colonial era de intervenção, de apelo à consciência patriótica e de promoção da mensagem da busca pela independência, pela luta contra o jugo português. "Antes de 75, o teatro também era praticado nas ruas por pessoas ligadas à revolução”, explicou apontando haver pouca documentação sobre o assunto, diferente do teatro da elite cuja prática era feita em salas construídas no casco urbano, sobretudo em Luanda, em espaços como Cine 1º de Maio e Tivoli. "Neto é incontornável na história do teatro angolano, porque foi dos mais destemidos artífices na luta pelo jugo colonial português, aspectos esses que sempre foram encenados nessa fase”.

Comunas de Icolo e Bengo

O município de Icolo e Bengo acolhe, a partir de quinta-feira e até 17 de Setembro, um conjunto de actividades culturais e recreativas, no quadro das comemorações do centenário de António Agostinho Neto, uma iniciativa do Centro Cultural de Catete.

Espectáculos de música, teatro e dança, exibições de filmes, exposições e palestras, marcam a efeméride, que segundo o director do centro, Isaías Cristóvão, serão realizadas nas comunas de Cabiri, Cassoneca, Bom Jesus, e nos distritos urbanos de Catete e Bela Vista.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura