Desporto

Duelo lusófono promete disputa bastante renhida

A Selecção Nacional sénior feminina de basquetebol defronta hoje, às 17h00, a congenere de Moçambique, com os olhos postos na vitória, desafio da segunda jornada do Grupo B da 27ª edição do Campeonato Africano das Nações, Afrobaket'2021.

19/09/2021  Última atualização 04H30
“Cinco” nacional está preparado e com vontade de vencer quando entrar em acção esta tarde © Fotografia por: Fiba.basketball
A partida, com palco no  Palácio dos Desportos de Yaoundé, está a ser encarada pelo conjunto nacional com particular expectativa e confiança numa excelente exibição. Angola quer começar com triunfo a caminhada rumo à conquista do título continental.

Walter Costa quer mostrar, no embate com as moçambicanas, a capacidade competitiva da Selecção Nacional na prova continental, com uma vitória.

As duas selecções têm histórico de jogos com  resultados sempre muito imprevisíveis, dado o equilíbrio na qualidade das suas jogadoras. Ambas reúnem nos respectivos conjuntos referências que permitem antever um jogo interessante.
Frente-a-frente estarão selecções representantes da lusofonia, facto que aumenta a expectativa em torno do confronto, que se espera seja de alto nível.

Walter Costa promete apresentar uma equipa forte, capaz de anular os pontos fortes do adversário. O pouco tempo de preparação do adversário, aliado às ausências de Lea Dongue e Ornélia Mafanela, abre boas expectativas para o combinado nacional superiorizar-se no jogo.

Para este embate,  Walter Costa pode escalar este "cinco”: Italee Lucas (base), Clarice Mpaka (extremo-base), Rosa Gala ou Ana Gonçalves (extremo), Nadir Manuel (extremo-poste) e Cristina Matiquite (poste).


Apesar de Moçambique não ter no conjunto algumas das melhores unidades, as duas selecções prometem  apresentar equipas fortes, sendo que os contendores ostentam argumentos suficientes para proporcionarem um espectáculo de basquetebol "de encher os olhos”.


Angolanas e moçambicanas partem para um duelo recheado de incógnitas em relação ao desfecho. Walter Costa sabe o quão importante e imperioso é manter em alta a concentração das jogadoras, para evitar surpresas. Os níveis de motivação também são determinantes para  começar o Afrobasket com as "mãos afinadas”.

A selecção de Moçambique, apesar de ter apenas cinco dias de preparação, mostra-se disposta a  contrariar todo o  favoritismo teórico das angolanas, prometendo uma  boa exibição diante de Angola.

O treinador moçambicano garantiu, ao Jornal de Angola, que, apesar do pouco tempo de preparação, espera fazer um bom jogo, e prometeu que as atletas vão fazer tudo para vencer o jogo.

Angola e Moçambique sempre realizaram partidas renhidas e equilibradas, pelo que o  Palácio dos Desportos de Yaoundé pode testemunhar um dos mais equilibrados despiques deste Afrobasket. Angola tem como objectivo primordial melhorar a a quinta posição da edição anterior, ao passo que Moçambique persegue  igualmente subir a fasquia classificativa, depois do quarto lugar de 2019, que valeu a disputa do Torneio Pré-Olímpico, em Fevereiro de 2020, na Sérvia.
  Elisa Pires garante prontidão do grupo
A treinadora adjunta da Selecção Nacional,  Elisa Pires, disse que o combinado nacional está pronto para defrontar as moçambicanas na quadra do Palácio dos Desportos de Yaoundé.

Indicada por Walter Costa para, doravante, falar para a imprensa, a treinadora garantiu  que o jogo não será fácil, mas o combinado nacional tem uma palavra a dizer diante de Moçambique.

Realçou, ainda, que as  jogadoras estão motivadas, expectantes e prontas para começar a competir da melhor forma possível. Diante das moçambicanas, a treinadora assegura estar à espera de um duelo difícil, a começar pelos moldes de disputa da competição.

As duas selecções conhecem-se bem, sublinhou, e têm argumentos suficientes para proporcionarem um bom jogo, no qual quem cometer o menor número de erros e apresentar maior capacidade pode vencer.

A treinadora acrescenta que o embate, de hoje, foi preparado ao pormenor e aspira por uma boa exibição.
Questionada se existe algum sector da Selecção que preocupa a equipa técnica, Elisa Pires disse não existir, mas gostaria que tivesse uma melhor preparação.

"Estamos prontos para começar a competir e fazer um bom jogo. Temos consciência que não será uma partida fácil, mas queremos começar o campeonato com vitória. Vamos entrar com uma equipa forte e capaz de contrariar o favoritismo de Moçambique”, frisou.

Juscelino da Silva |Yaoundé


Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Desporto