Regiões

Docente apela cidadãos a visitarem monumentos

Fernando Neto | Mbanza Kongo

Jornalista

O director do Curso de Turismo e Gestão Hoteleira da Universidade Metodista de Angola apelou aos cidadãos a visitarem os monumentos e sítios históricos da cidade de Mbanza Kongo, Património Cultural da Humanidade.

26/07/2022  Última atualização 12H36
© Fotografia por: Garcia Mayatoko| Mbanza Kongo

José Bartolomeu da Cunha encabeçou uma delegação de 45 estudantes da Universidade Metodista de Angola que visitou, durante três dias, a cidade de Mbanza Kongo, província do Zaire. A visita serviu para constatar "in loco” o potencial turístico do único Património Mundial da Hu-manidade de Angola.

"Nos três dias que visitamos os monumentos e sítios da cidade de Mbanza Kongo não encontramos nenhum cidadão local a visitá-los, situação que nos preocupa, sobretudo pela necessidade de divulgação do Património", lamentou o docente.

José Bartolomeu da Cunha informou que a visita dos 45 estudantes enquadra-se no programa de actividades técnicas do Curso de Turismo daquela Universidade.

"Daquilo que visitamos até ao momento, do ponto de vista da preservação, acho que o município está de parabéns, tendo em conta o estado de conservação e preservação dos monumentos e da sua história, aspectos que ajudam a tornar o local atractivo para qualquer turista", sublinhou.

O docente apelou aos angolanos residentes na província do Zaire a conhecerem de perto a realidade histórica da cidade de Mbanza Kongo, símbolo máximo da cultura do país, no sentido de incentivarem os visitantes.

Questionado sobre o monumento que mais lhe impressionou, José Bartolomeu da Cunha referiu ser difícil dizer porque todos lhe encantaram pelos seus aspectos peculiares. "As características do Museu dos Reis, a energia cultural e mística do Kulumbimbi, enfim, todo ritual em volta destes lugares agregam valor ao visitante”, disse.

O chefe de secção do Turismo da Administração Municipal de Mbanza Kongo, António Pengu, considerou que visitas do género são necessárias e demonstram que o trabalho de promoção do Património Histórico da cidade está no bom caminho.

"De certeza que as potencialidades históricas desta região têm despertado a atenção de estudantes universitários, como é o caso destes do Curso de Turismo da Universidade Metodista de Angola, que tomaram contacto com o roteiro turístico do centro histórico de Mbanza Kongo, para conciliarem conteúdos teóricos à prática”, frisou.

Mbanza Kongo, enquanto património da UNESCO, acrescentou, vai continuar a atrair mais visitantes, com destaque para estudantes, pesquisadores e curiosos.

De salientar que, os estudantes universitários visitaram o Museu e o Cemitério dos Reis do antigo Reino do Kongo, as ruínas do Kulumbimbi (primeira Sé Catedral construída a Sul do Equador), o túmulo da dona Mpolo (enterrada viva pelo próprio filho, rei Nvemba Nzinga, por ter desobedecido as leis da corte), as Fontes de Água Santa e Madungu e as Grutas de "Nzau Evua” (Nove Elefantes, em português).

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões