Cultura

Dikanza é ensinada em oficina de arte na capital

Analtino Santos

Jornalista

O ensino da dikanza voltou a ser referência da agenda cultura da capital, sexta-feira última, com a realização de mais uma oficina desta arte, pelos músicos Jorge Mulumba e Lito Graça, uma iniciativa do Tuxike Odikaza.

21/06/2021  Última atualização 05H10
Iniciativa foi criada para a dinamização deste instrumento de referência na música nacional © Fotografia por: DR
O projecto, uma parceria do Gabinete Provincial da Cultura, Turismo, Juventude e Desporto e o instrumentista e pesquisador Jorge Mulumba, aconteceu nas instalações da Fundação Arte e Cultura, na Ilha de Luanda. A oficina serviu para encerrar a oficina de três dias, com participação de 30 crianças, que beneficiam de aulas de música da Fundação Arte e Cultura à comunidade.


O director Provincial da Cultura, Turismo, Juventude e Desporto, Manuel Gonçalves,  disse que as oficinas de Dikanza e outros projectos culturais serão realizados neste espaço, devido a uma parceria feita com a organização, dirigida por Naama Margalit.

Durante duas horas de explicações e demonstrações, os palestrantes exaltaram José Oliveira de Fontes Pereira ‘’Malé Malamba’’, mestre na construção da Dikanza e investigador da cultura angolana. A filha do homenageado, Conceição Fontes Pereira, testemunhou o acto e ficou impressionada com o desempenho das crianças que tocaram dikanza, assim como com as intervenções dos convidados.

Os músicos Jorge Mulumba e Lito Graça falaram da história, concepção do instrumento e exemplificaram as variantes da execução da dikanza, em ritmos como o semba, kazukuta e rumba.


No acto, algumas músicas conhecidas do grande público foram tocadas, com realce para "Jila dya Dikanga”, de Paulo Flores e Yuri da Cunha, que reuniu no palco todas as crianças do projecto, num momento que emocionou os presentes. Os dois professores saíram satisfeitos com o desempenho dos alunos e com o movimento em torno do resgate do instrumento.

Para Manuel Gonçalves, o projecto Tuxike Odikaza, fruto do dinamismo de Jorge Mulumba, é a materialização de uma ideia que estava no papel e hoje permite dar mais valorização de um dos instrumentos de referência da música angolana.


"Desta forma, em função das responsabilidades institucionais, o órgão responsável da cultura provincial, em parceria com Jorge Mulumba, abraçou o projecto, que tem como parceiros os projectos Show do Mês, o Instituto Nacional da Criança, o Mercado Verde do Benfica, o Instituto Nacional do Património Cultural, o Memomadin Foundation, a Tipografia Corimba, a Vida TV e a Mitrelli”, revelou.

O Tuxiki Odikaza, esclareceu, visa a preservação e continuidade da herança cultural do instrumento, com a realização de seminários e aulas práticas. Zé Fininho, Raul Tolingas e Didi da Mãe Preta são considerados os "guardiões da dikanza”. Euclides Fontes Pereira "Mestre Fontinhas”, do Ngola Ritmo, é considerado o melhor tocador deste instrumento de todos os tempos.


Ressureição, dos Gingas, Adolfo Coelho, dos Kiezos, Zé Fininho, Raul Tolingas, Didi da Mãe Preta, Tony do Fumo, Augusto Chacaya, Chico Coio, Bonga, Joãozinho Morgado, Chico Santos, Massoxi, Lolito, Yasmane Santos são algumas da principais referências na execução.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura