Sociedade

Detidos dois chineses por morte de fiscal de obra

Silvino Fortunato

O Serviço de Investigação Criminal (SIC) no Uíge deteve, ontem, dois cidadãos de nacionalidade chinesa, na vila do Negage, acusados de terem morto, por envenenamento, um fiscal de obra angolano, de nome Irnésio Nhanga.

30/09/2022  Última atualização 08H15
© Fotografia por: DR

O chefe do Departamento de Comunicação Institucional e Imprensa do SIC no Uíge disse que o homicídio qualificado ocorreu no estaleiro da empresa de construção civil C.A.C, encarregue da asfaltagem da via secundária, que interliga a cidade do Uíge e a vila do Negage, passando pela aldeia Tangi.

"O malogrado, de 25 anos, na condição de fiscal da obra, considerou o material a ser utilizado como não consistente, com impurezas orgânicas. Ele estava a exigir a remoção destes e a troca por outros. A decisão não foi aceite pelos chineses e gerou um desentendimento entre estes e o fiscal”, disse Zacarias Fernandes.

O SIC, esclareceu, está a investigar o tipo de veneno usado pelos supostos autores, depois da  perícia e do médico legista terem confirmado a morte por envenenamento.

Diligências, adiantou, estão a ser feitas para confirmar o verdadeiro autor do crime. "Um dos chineses é acusado de ter feito a comida que, supostamente, estava envenenada e foi a causa da morte. O outro é suspeito por ter levado a refeição”.

O pai da vítima, contou, também fiscal de obras de construção civil, disse que os chineses não aceitaram inicialmente remover o material sem qualidade e ficaram preocupados com a possibilidade de que não receberiam a autorização para a facturação de pagamentos em Outubro.

Com base em declarações de algumas testemunhas,  que assistiram ao desentendimento, um dos chineses procurou obter informações sobre onde comprar veneno. "Depois de tudo, um deles fez o jantar e o outro se ofereceu para levar o prato ao fiscal no sábado", disse Baptista Gonde Mayungula, motorista da empresa C.A.C.

O fiscal de obra foi encontrado morto, na cama, no dia seguinte, com base nos relatos colhidos, pelo segurança da empresa. 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade