Sociedade

Antenas serão removidas do centro de Mbanza Kongo

O ministro da Comunicação Social, Nuno Caldas Albino, concluiu, ontem, uma visita de trabalho de 48 horas à província do Zaire, onde avaliou o estado do sector que dirige, além de ter aferido os trabalhos preparatórios para a remoção das antenas que suportam as emissões da Rádio Zaire, Televisão Pública de Angola e da Angola Telecom, por estarem situadas na zona tampão do centro histórico de Mbanza Kongo.

01/02/2020  Última atualização 18H12
Garcia Mayatoko | Edições Novembro | Mbanza Kongo © Fotografia por: Ministro da Comunicação Social, Nuno “Carnaval” avalia o sector na província do Zaire

A remoção das referidas antenas e a posterior instalação num outro local, já identificado, está inserida no conjunto das recomendações da UNESCO, deixadas ao Executivo à luz da inscrição desta cidade na lista do património da humanidade, desde 2017.
As empresas passam a partilhar uma única antena a ser instalada na zona de Kianganga, arredores de Mbanza Kongo, nos próximos dois meses. Segundo apurou o Jornal de Angola, a nova infra-estrutura vai ter 120 metros de altura.
O director Nacional dos Museus, Esídio Domingos, que representou o Ministério da Cultura, referiu que os trabalhos visam o cumprimento de todas as recomendações da UNESCO, que deve ser concluído até Dezembro deste ano, com o envio de um relatório explicativo.
O responsável explicou que os trabalhos prévios incluem, não apenas a remoção das antenas, mas também a construção do novo aeroporto e a projecção do Plano Urbanístico de Mbanza Kongo.
O ministro da Comunicação Social, Nuno Caldas Albino "Carnaval", que se fez acompanhar dos presidente dos Conselhos de Administração dos órgãos públicos, nomeadamente, Edições Novembro-EP, Agência Angola Press (Angop), RNA e TPA, manifestou a vontade do seu pelouro em apoiar as empresas do sector sedeadas na região, em termos de meios técnicos e tecnológicos, para garantir melhor qualidade dos serviços prestados.
“Os problemas dos órgãos são genéricos, por isso definimos o nosso plano estratégico para 2020/2022, que contempla quatro eixos", disse o ministro, destacando os recursos humanos como o foco para a operacionalização do sector, além do plano de reestruturação e modernização, um amplo programa de formação, para que os jornalistas possam adequar a informação ao novo contexto político e social.
Na companhia do governador do Zaire, Pedro Makita, a comitiva visitou as instalações de todos os órgãos do sector na região, incluindo a Rádio Eclésia (Emissora Católica de Angola).
O programa de visita do ministro da Comunicação Social incluiu encontros com os membros do Governo do Zaire, responsáveis das empresas do sector, com o bispo da Diocese de Mbanza Kongo, D. Vicente Carlos Kiaziku, e com representantes dos partidos políticos da oposição com assento no Parlamento.
Hoje, o ministro reúne com os funcionários das empresas públicas e privadas de comunicação social e com os membros de associações profissionais, para abordar vários assuntos.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade