Regiões

Centro de toxicodependentes está superlotado

O Centro de Reabilitação e Acolhimento para doentes dependentes de bebidas alcoólicas, afecto à Cruz Azul de Angola (CAA), da província do Cuando Cubango, situado na cidade de Menongue, tem registado nos últimos dias uma superlotação, devido à procura de pacientes graves que vêm de diversas províncias do país, informou ontem o director da instituição.

21/12/2019  Última atualização 09H52
Nicolau Vasco | Edições Novembro | Menongue © Fotografia por: Instalações que alberga toxicodependentes debate-se com a falta de água corrente e de energia eléctrica da rede

Aires Manuel, que falava no final da celebração da cerimónia “Natal Antecipado”, promovida pela JMPLA para os toxicodependentes, disse que o centro foi construído para albergar apenas 30 pacientes, mas devido ao número elevado de jovens e adolescentes com problemas de consumo excessivo de bebidas alcoólicas e outras drogas, oriundos de vários pontos do país, a instituição tem internado actualmente 82 doentes, 13 dos quais são mulheres. 

“Devido ao número elevado de pacientes, a direcção do centro viu-se obrigada a instalar “cama-chão” no salão onde são administradas as aulas cristãs, para os doentes internados”, disse.
Segundo Aires Manuel, a instituição que dirige já reabilitou , desde Setembro de 2016, mais de 200 toxicodependentes, entre adolescentes e adultos, que consumiam exageradamente bebidas alcoólicas e outras drogas. Trataram-se de cidadãos provenientes das províncias de Luanda, Bié, Benguela, Moxico, Lunda-Norte, Huíla, Uíge e Cunene, dos 13 e 65 anos de idade.
“Por este motivo, solicitamos ajuda do Governo Provincial do Cuando Cubango para ser mais célere com as obras de ampliação do centro, que visa elevar a sua capacidade de albergue de doentes internados de 30 para 90. Portanto, trata-se de uma instituição que se tornou referência a nível nacional pelo excelente trabalho na reabilitação de alcoólatras usuários de outras drogas”sublinhou o responsável.
Aires Manuel explicou que o processo de reabilitação dos doentes envolve seis meses, e comporta aulas sobre questões religiosas, sociais e económicas, bem como palestras sobre as consequências do consumo excessivo de bebidas alcoólicas, “isso para os pacientes depois de reabilitados terem boa reintegração e não voltarem a cometer os mesmos erros.
O responsável disse que a Cruz Azul de Angola, que tutela o centro de recuperação de toxicodependentes, é uma organização não-governamental, apartidaria, filantrópica, que desenvolve a solidariedade social sem fins lucrativos. “A nossa instituição depara-se com dificuldades financeiras e, deste modo, vê-se a abraços para servir alimentação condigna aos pacientes”, deplorou.
O centro, segundo Aires Manuel, é assolado pela falta de água potável e de energia eléctrica. “Continuamos a apelar ajuda às instituições públicas e privadas, assim como a entidades individuais para que o centro continue a restaurar cidadãos que estão mergulhados no consumo de drogas”, disse, lamentando por muitas famílias não prestarem atenção aos parentes após a reabilitação”, pois, por este facto, muitos jovens acabam por voltar a consumir drogas .

Doação

Para celebrar o “Natal Antecipado”, a juventude do MPLA (JMPLA) doou ao Centro de Reabilitação vários bens alimentares, refrigerantes, água mineral, entre outros produtos.
O primeiro secretário da JMPLA no Cuando Cubango, Severino Sawanda, disse que a organização juvenil está preocupada com o aumento do número de adolescentes e adultos “no mundo das drogas”, pelo que prometeu a implementação de campanhas de sensibilização para desencorajar os toxicodependentes a prosseguirem com o consumo de drogas.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões