Economia

Direcção do BCI foi ontem destituída pelos accionistas

Os accionistas do Banco de Comércio e Indústria (BCI) aprovaram ontem, por unanimidade, a destituição do Conselho de Administração daquela instituição financeira, até então presidido por Filomeno Costa Alegre Alves de Ceita.

06/11/2019  Última atualização 12H33
José Cola| Edições Novembro © Fotografia por: Documento que anuncia a destituição não menciona as razões

O Conselho de Administração que ontem cessou funções tinha como administradores Maria do Carmo Bastos Corte Real Bernardo, Jorge Leão Peres, João de Jesus Batalha Freire dos Santos e Carlos Alberto Teixeira de Alva Sequeira Bragança.
Na mesma assembleia, os accionistas aprovaram a eleição de um novo Conselho de Administração, presidido por Zenaida Gertrudes dos Santos Ramos Zumbi. O novo corpo directivo tem como administradores executivos Ederson Cruz de Sousa Machado e Renato de Assunção Borges.
Gilberto João Pipa Vunge e Raquel Celeste da Conceição Kulivela completam a equipa, como administradores não executivos.
Em nota de imprensa distribuída ontem, os accionistas referem que o mandato do novo Conselho de Administração corresponde ao quadriénio 2019-2022. O BCI é um banco comercial com 100 por cento de capitais públicos, tendo na sua estrutura accionista o Estado Angolano, Sonangol, Endiama, ENSA, TCUL, Porto de Luanda, TAAG, e Angola Telecom.

RECREDIT

Ainda ontem, a ministra das Finanças, Vera Daves de Sousa, procedeu à exoneração do presidente do Conselho de Administração da RECREDIT, Gestão de Activos, Vicente Jerónimo Dionísio Leitão, tendo nomeado, em substituição, Valter Rui Dias de Barros.
A RECREDIT é uma sociedade de direito privado, anónima e de capitais públicos, constituída em Agosto de 2016, em que o seu accionista único é o Estado. A sua actividade principal consiste na aquisição e recuperação de créditos concedidos, bem como na gestão de participações financeiras e de patrimónios.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia