Economia

Fórum aponta os caminhos para o fomento do turismo

O Fórum Mundial do Turismo, realizado em Luanda, entre quinta-feira e ontem, recomendou ao Governo angolano o incremento de esforços para a melhoria das infra-estruturas, segurança e ambiente de negócios, de modo a atrair mais investimentos e maior número de turistas ao país.

26/05/2019  Última atualização 09H37
Kindala Manuel | Edições Novembro © Fotografia por: Presidente do Fórum do Turismo

Os participantes ao Fórum, aberto pelo Presidente da República, João Lourenço, recomendaram, ainda, o estabelecimento de parcerias entre os países africanos, para o desenvolvimento do sector.
Nas conclusões, os participantes enfatizaram “o forte impacto” do turismo na economia global e na gestão comunitária dos recursos naturais, tendo lembrado que nenhum projecto turístico tem sucesso se não promover o envolvimento das comunidades.
Para a ministra do Turismo, Ângela Bragança, o evento foi uma plataforma de diálogo, troca de experiências, estabelecimento de relações e projecção do turismo, como um dos vectores da economia.
Além dos líderes das grandes cadeias hoteleiras mundiais, como Marriot, Radisson, Hilton e Accor, o evento contou, entre outras individualidades, com a presença do antigo Presidente francês François Hollande, que teceu elogios aos organizadores.
Em declarações à agência Lusa, o presidente do Fórum Mundial do Turismo, Bulut Bagci, considerou Angola “um país virgem”, em termos de turismo, o que a torna um dos principais destinos da África Austral para investimentos.
“Angola é um país virgem”, sublinhou, salientando, no entanto, que no país “falta uma das coisas mais importantes”, que são as infra-estruturas, “que não são desenvolvidas”.
“A primeira coisa que Angola deve fazer é focar-se na construção de mais infra-estruturas, estradas, aeroportos e transportes, que conduzem aos destinos turísticos”, disse.
O presidente do Fórum Mundial do Turismo insistiu também no potencial costeiro do país, enfatizando que Angola tem uma enorme zona costeira, com mais de 1.600 quilómetros, ao longo da qual podem ser construídos “resorts”.
Bulut Bagci lamentou o facto de o país possuir apenas um hotel de cinco estrelas e não contar com as grandes multinacionais do sector, como os grupos Hilton ou Marriot.
“Angola tem de se focar também na atracção das principais cadeias de hotéis mundiais”, disse, admitindo que, “até ao fim do ano, uma das grandes cadeias internacionais possa instalar-se no país.
Sobre o memorando de entendimento assinado com o Ministério do Turismo, em que ficou garantido que o Fórum Mundial do Turismo vai investir nos próximos cinco anos cerca de mil milhões de dólares no desenvolvimento do sector turístico em Angola, Bulut Bagci referiu que a aposta no país “é grande”.
O acordo com o Governo angolano prevê a intervenção em vários projectos, com destaque para o pólo turístico no Parque Nacional da Quissama, em Luanda.

Angola Tourism Awards distingue as melhores contribuições

Dezoito prémios de diversas categorias foram atribuídos na sexta-feira a agentes nacionais e estrangeiros pela sua contribuição ao sector do Turismo no país, no âmbito da I Edição do Fórum Mundial do Turismo realizada em Angola.
Trata-se das categorias “Operador de Turismo”, atribuída a Luís Cândido Carneiro, da Agência de Viagens Trevogel, “Melhor Expositor”, arrebatado pelas províncias que configuram a Região Sul de Angola, “Fotografia e Audiovisuais”, ganho pelo empresário do sector Kostadin Luchansky.
Foram igualmente contemplados a Casa 70, a Hotéis Angola, o programa Nossa Terra da TV Zimbo, a TD Hotels e a Charme Tours, nas categorias “Organização de Eventos”, “Plataforma Digital de Promoção e Marketing Turístico”, “Programa de Media de Promoção de Turismo”, “Grupo Hoteleiro” e “Agências de Viagem”.
O Angola Tourism Awards 2019 agraciou também o Hotel Trópico, na categoria “Hotéis Cidade”, a Social Surf Weekend, na categoria “Inovação”, a Pululukwa Lodge Resort-Huíla, na categoria de “Aldeamentos Turísticos”, o Café Del Mar, na categoria de “Restauração”, o Cafago, na categoria “Catering e Eventos”, e a província de Benguela, na categoria “Destino Turístico”.

Jóias rendem 107 mil dólares

Um leilão de cinco jóias realizado pela Sodiam, na gala de premiação “Angola Tourism Awards 2019”, arrecadou 107 mil dólares.
Segundo a ministra do Turismo, o dinheiro obtido no leilão, inserido no Fórum Mundial do Turismo Angola 2019, será empregue em causas solidárias e filantrópicas.
A ministra Ângela Bragança disse que o leilão serviu também para mostrar aos participantes que há um mercado de jóias em Angola, que pode interessar aos investidores estrangeiros.

 

 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia