Economia

Diamantes licitados por quase 17 milhões

A SODIAM licitou ontem um lote de sete pedras especiais por 16,69 milhões de dólares, no fim do 1º Leilão de Diamantes Brutos de Angola realizado para iniciar a aplicação de uma nova política de comercialização, instituída em Julho de 2018 para introduzir transparência nesse processo.

01/02/2019  Última atualização 12H06
Paulo Mulaza | Edições Novembro © Fotografia por: Ministro Diamantino Azevedo no lançamento do leilão

A Sociedade Nacional de Comercialização de Diamantes de Angola (SODIAM) anunciou na noite de ontem, em comunicado, que as pedras foram licitadas pelas empresas Arslanian Group DMCC, Blue Glacier Diamonds, Kapu Gems, Shree RamskrishnaExport, MBD BVDA e Julius Klein Group.
O comunicado não refere a origem destas empresas, que são parte de um grupo de 31 habilitadas para participar no leilão, originárias de Angola, África do Sul, Bélgica, China, Emirados Árabes Unidos, Estados Unidos e Israel.
No lançamento do leilão, na segunda-feira, os organizadores disseram prever a participação de 40 empresas, cinco das quais angolanas, mas, segundo apurou ontem o Jornal de Angola, nenhuma destas figura entre as vencedoras.
A oferta incluía diamantes que pesam de 43,25 a 114,95 quilates, com destaque para uma pink ou “pedra rosa” de 46 quilates, num designado “leilão por concurso”, ou tender, no qual os participantes apresentaram as propostas de licitação em modelo fechado, que permite maximizar o valor a obter.
A licitação ocorreu numa plataforma electrónica desenvolvida para a SODIAM, na qual os participantes se registaram  previamente.
O comunicado cita o mi-nistro dos Recursos Minerais e Petróleo e o presidente do Conselho de Administração da SODIAM, Diamantino Azevedo e Eugénio Bravo da Rosa, a enalteceram a operação pela transparência e pela adesão de empresas que figuram entre as maiores do mercado mundial de diamantes.
O presidente executivo da Lucapa Diamonds, Stephen Wetherall, manifestou satisfação por os preços reflectirem o verdadeiro valor das pedras.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia