Política

Destacadas reformas estruturais implementadas no país

Um colóquio organizado pela Sociedade Alemã para os Países Africanos de Língua Portuguesa destacou sexta-feira, em Berlim, as reformas estruturais encetadas pelo Presidente da República, João Lourenço, realçando que servem de “boa base para desenvolver relações com a Alemanha”.

03/12/2022  Última atualização 05H25
Kerstin Nielsen, do Ministério Federal dos Negócios Estrangeiros © Fotografia por: DR

Segundo Kerstin Nielsen, do Ministério Federal dos Negócios Estrangeiros, falando em representação do Estado de Baden-Wurttemberg, na cerimónia de encerramento dos três dias da actividade sobre "visões do futuro nos países da CPLP”, Angola mudou de paradigma desde a chegada ao poder de João Lourenço em 2017.

"Com as reformas económicas estruturais e os esforços do Governo para combater a corrupção, Angola está a tornar-se cada vez mais interessante, enquanto mercado para empresas alemãs, também pelo facto da União Europeia estar a negociar com Angola um acordo de investimento sustentável”, sublinhou.

Kerstin, que atende Angola, Moçambique e Zâmbia, na Diplomacia Federal, disse também que a Alemanha seguiu com maior interesse as Eleições Gerais de Agosto último e manifestou a vontade de trabalhar com o Governo em áreas importantes para ampliar a cooperação,  especialmente, económica.

Para a Alemanha, Angola oferece um potencial considerável, sobretudo, nas áreas das energias renováveis, das terras raras e na agricultura.

Por seu turno, ao discursar na mesma sessão, em videoconferência, o secretário executivo da CPLP, Zacarias da Costa, referiu que o papel da Sociedade Alemã para os Países Africanos de Língua Portuguesa, em três décadas, é dar visibilidade à África na Alemanha.

Fundada há 37 anos, a Sociedade Alemã para os Países Africanos de Língua Portuguesa trabalha na divulgação de informação e no fortalecimento das relações entre a Alemanha e as nações africanas de língua portuguesa, com particular destaque para Angola e Moçambique.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política