Política

Destacadas as vantagens de Angola no Conselho de Paz e Segurança da UA

César Esteves

Jornalista

A chegada de Angola à presidência rotativa do Conselho de Paz e Segurança da União Africana (CPS-UA), a partir do próximo mês, para um período de dois anos, oferece ao país oportunidade para se destacar no seio de um dos principais órgãos da organização continental.

17/06/2024  Última atualização 09H06
Bento Bembe apontou entre as prioridades, o combate ao terrorismo e as mudanças inconstitucionais © Fotografia por: DR

A afirmação é do embaixador de Angola na Etiópia e Representante Permanente Junto da União Africana (UA), Miguel Bembe.

Em declarações ao Jornal de Angola, o diplomata referiu que, não obstante se tratar de uma presidência temporária (2024-2026), Angola vai aproveitar alinhar as suas prioridades com a consolidação dos objectivos gerais e específicos definidos no quadro dos seu mandato, que passam pela promoção da paz e segurança, através da aplicação dos princípios da resolução pacífica dos conflitos no continente, priorizando, sempre, o diálogo inclusivo e a tolerância responsável.

Miguel Bembe disse constar, ainda, das prioridades do país o combate ao terrorismo e extremismo violento, mudanças inconstitucionais de Governo em África, a contribuição para a estabilidade regional e continental, promovendo e apoiando iniciativas de resolução de conflitos e atenuação de eventuais tensões, por via da mediação e da diplomacia preventiva, assim como contribuir para o reforço da segurança continental e global, através da cooperação com outros Estados-membros e os vários parceiros regionais e internacionais, no processo de consolidação das capacidades de segurança. "Nomeadamente na luta contra o terrorismo, pirataria e outras ameaças transnacionais, sem perder de vista a promoção do desenvolvimento integral e sustentável no continente, com o objectivo de corrigir as vulnerabilidades estruturais", destacou.

Para o diplomata angolano, a chegada do país à presidência daquele órgão da União Africana vai contribuir para a consolidação da influência política e diplomática no continente africano, enquanto activo para a promoção dos seus interesses nacionais nos planos regional e intercontinental, ao mesmo tempo que vai reafirmar o compromisso do país na promoção da paz e da segurança, reforçando, deste modo, a sua credibilidade enquanto actor e interlocutor africano "incontornável", dado o facto de ser uma voz ouvida, respeitada e seguida no Sistema das Relações Internacionais.

O anúncio da chegada de Angola à presidência rotativa do Conselho de Paz e Segurança da União Africana foi tornado público, sexta-feira, pela Embaixada de Angola na Etiópia e Missão Permanente Junto da União Africana, em nota enviada à Redacção do Jornal de Angola.

O embaixador de Angola naquele país e representante permanente junto da União Africana, Miguel Bembe, participou, nesse mesmo dia, numa reunião daquele órgão, dedicada ao futuro das Operações de Apoio à Paz lideradas pela UA, que aprovou já o Projecto da Agenda de Trabalho do Conselho de Paz e Segurança para o mês de Julho, proposto por Angola. O Conselho de Paz e Segurança da União Africana é o órgão decisório da União Africana para a prevenção, gestão e resolução de conflitos no continente africano.

A União Africana é um órgão continental composto por 55 Estados-membros. A organização foi lançada, oficialmente, em Julho de 2002, em Durban, África do Sul, na sequência de uma decisão tomada, em Setembro de 1999, pela sua antecessora, a OUA, de criar uma nova organização continental para desenvolver o seu trabalho.

A decisão de relançar a Organização Pan-africana de África foi o resultado de um consenso entre os líderes africanos de que, para concretizar o potencial de África, era necessário desviar a atenção da luta pela descolonização e pela libertação do continente do apartheid, que tinha sido o foco da OUA, no sentido de uma maior cooperação e integração dos Estados africanos para impulsionar o crescimento e o desenvolvimento económico de África.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política