Política

Destaca importância de fazedores de cultura

O Comité Provincial do MPLA no Cuanza-Sul garantiu, na cidade do Sumbe, que vai reforçar as acções dirigidas aos fazedores de cultura, caso vença as eleições. Num encontro, onde ouviu as preocupações da classe artística, nas diferentes artes, foi destacado o papel do partido na valorização da identidade cultural ao longo dos anos.

05/08/2022  Última atualização 08H30
Acto político de massas, no Sumbe © Fotografia por: Edições Novembro

O segundo secretário provincial do MPLA no Cuanza-Sul, Agostinho Domingos Cassessa Miquinho, apresentou as linhas fortes a serem implementadas no capítulo da cultura e artes, tendo recebido contributos para enriquecer o Programa de Governo do  MPLA 2022 a 2027.

Lembrou, na terça-feira, aos artistas de diferentes áreas que o MPLA, desde a sua fundação, esteve sempre ligado às manifestações culturais. "O MPLA olha para cultura, turismo, juventude e desportos como áreas que devem promover e difundir as criações artísticas”, disse. Para  Agostinho Domingos Cassessa Miquinho, o MPLA tem o sector da Cultura como estratégico e fundamental para, junto das comunidades, incentivar a criatividade, associativismo juvenil, inclusão social, bem como dinamizar a socialização da sociedade”.

Preocupações que afectam a classe artística

Os artistas aproveitaram a ocasião para apresentarem os problemas que os afectam, e o encontro procurou identificar as soluções. O kudurista e realizador de eventos Puto Manox, residente no Sumbe, apontou, durante a sua intervenção, como principais preocupações, a falta de apoios para os artistas, a falta de incentivos, como o pagamento de "cachets”, a exclusão de artistas em muitos eventos artísticos na província, bem como do não reconhecimento por parte das estruturas provinciais do mérito dos artistas.

Por sua vez, Nelson Henriques saudou a iniciativa do MPLA, em promover um encontro que visou auscultar as preocupações da classe artística na província e  receber propostas de novas ideias para enriquecer o programa do partido virado para o  sector da cultura. Nelson Henriques entende que o encontro teve um alcance maior, na medida em que permitiu à classe artística apresentar as preocupações que dificultam o desempenho das actividades culturais.

O delegado da União Nacional de Artistas e Compositores de Angola, João António Caetano, saudou a iniciativa do MPLA no Cuanza-Sul, em interagir com a classe artística, como sendo o primeiro passo para início de conversas e mudança de paradigma, sobretudo em matérias de criação de estratégias para relançar o sector da cultura na província.

Entre as necessidades que considerou urgentes, João António Caetano, defendeu a necessidade da construção de um centro cultural, com o objectivo de garantir a interacção entre os artistas e o público. O encontro foi testemunhado pelo secretário Municipal do Sumbe, António Wenga Franco.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política