Política

Deputados aprovam recondução de José de Lima Massano no BNA

Yara Simão

Jornalista

Os deputados das Comissões de Economia e Finanças e dos Assuntos Constitucionais e Jurídicos da Assembleia Nacional aprovaram, com 24 votos a favor, 14 abstenções e nenhum voto contra, a recondução de José de Lima Massano para mais um mandato de seis anos como Governador do Banco Nacional de Angola.

01/12/2022  Última atualização 08H20
Deputados aprovam recondução de José de Lima Massano no BNA © Fotografia por: DR

A audição teve como objectivo aferir a idoneidade, capacidade de gestão, conhecimento, competência técnica e experiência reconhecida em economia, direito, contabilidade, banca, finanças e gestão, considerando a complexidade e características e especificidade das funções de Governador do Banco Nacional de Angola, de acordo com o disposto no artigo 51º da Lei nº 24/21, de 18 de Outubro – Lei do Banco Nacional de Angola.

O facto aconteceu, terça-feira, durante uma reunião para aprovação do Relatório Parecer Conjunto da Audição Prévia do candidato proposto pelo Presidente da República, João Lourenço.

Durante a audição foram apresentadas questões pelos deputados presentes na sessão, relacionadas ao desenvolvimento da política monetária, com ênfase ao mercado cambial, expectativas futuras do desenvolvimento dos indicadores macroeconómicos, com particular atenção aos níveis de inflação, tratamento das questões relativas ao crédito à economia e extensão do acesso aos serviços bancários.

Os deputados foram unânimes que o candidato indicado pelo Presidente da República para exercer a função de Governador BNA preenche os requisitos legalmente exigíveis.

Concluíram ainda que não recaem sobre José de Lima Massano qualquer incompatibilidade e impedimentos legalmente previstos na Lei.

O deputado António Paulo, vice-presidente da Comissão dos Assuntos Constitucionais e Jurídicos (1ª CTE), declarou à imprensa que os parlamentares reconhecem competência técnica e idoneidade ao candidato José de Lima Massano, para o cargo de Governador do Banco Nacional de Angola, daí estarem favoráveis a esta proposta de renovação.

António Paulo explicou que esta aprovação vai ser remetida à presidente da Assembleia Nacional, que por sua vez fará chegar ao Titular do Poder Executivo, a quem confere a legitimidade de indigitar o Governador do BNA.

Nas vestes de candidato a gestor principal do BNA, José de Lima Massano, prometeu que vai continuar a trabalhar para o alcance da resiliência do sistema financeiro angolano e para a estabilidade de preços, acreditando numa economia mais competitiva e sólida.

Revelou que o BNA dispõe de reservas nacionais avaliadas em cerca de 13,5 mil milhões de dólares, com uma cobertura de importações para cerca de 13 meses, considerando-a a mais alta de África.

O dirigente aproveitou a ocasião para alertar sobre a existência de elevados gastos com a importação de produtos que podem ser produzidos internamente, como óleo de palma, feijão, o arroz, coxas de frango, entre outros.

Acrescentou que a recente depreciação do kwanza face ao dólar e ao euro tem a ver com o recuo verificado a nível das importações de petróleo, commoditie que caiu em mais de 16 por cento, o "que teve impacto significativo na oferta de divisas”.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política