Sociedade

Delinquentes tentam continuar actividade criminosa nas cadeias

André da Costa

Jornalista

O porta-voz nacional do Serviço de Investigação Criminal (SIC) revelou, este sábado, em Luanda, que há delinquentes que, mesmo detidos, “tudo fazem para continuar a actividade criminosa”, a partir das cadeias.

26/06/2022  Última atualização 10H15
Mãos que já cometeram crimes © Fotografia por: DR

O superintendente Manuel Halaiwa, que falava ao Jornal de Angola, a propósito do Dia Internacional contra o Abuso e Tráfico Ilícito de Drogas, que é hoje assinalado, adiantou que, mesmo nas cadeias, há, por exemplo, tentativas de introdução de drogas, um problema que "impõe a tomada de medidas preventivas e repressivas para que tal não ocorra”. 

O Serviço de Investigação Criminal registou, entre Janeiro e Maio deste ano, em todo o país, 547 casos de tráfico de drogas, sendo  17 relacionados com a cocaína, 18 com o "crack”, um com a heroína e 511com a cannabis, nome científico da liamba.

A informação foi também avançada pelo porta-voz nacional do SIC, superintendente Manuel Halaiwa, que afirmou ser a droga, para "muitos malfeitores, um catalisador para o cometimento de crimes de natureza diversa, como homicídio, agressão física, violação sexual, roubo e furto.

No mesmo período, de acordo com o porta-voz nacional do SIC, foram registados 327 casos de consumo de droga, sendo 280 referentes à liamba e 47 à cocaína. 

O SIC abriu 570 processos-crime, 655  já concluídos e, destes, remetidos a Tribunal 210 com presos e 292 sem presos.

O porta-voz Manuel Halaiwa adiantou que foram apreendidos 3.333 gramas de cocaína, 69,5 gramas de "crack”, 0,5 gramas de heroína, 20 comprimidos de "diazepan”, 8.990,161 toneladas de liamba e, ainda referente à mesma droga, 17.863 plantas, que vão ser incineradas nos próximos dias.  

Em 2021, foram registados, em todo o país, 1.520 casos de tráfico de droga, contra 1.733 em 2020.

Quanto ao consumo de droga, em 2021, foram registados 177 casos, sendo 175 referentes ao consumo de liamba e dois de cocaína, adiantou Manuel Halaiwa, que disse terem sido registados, também, 96 casos de cultivo de liamba.

Já em 2020, segundo dados avançados por Manuel Halaiwa, foram registados 288 casos de consumo de droga, sendo que 280 são referentes à liamba, sete à cocaína e um ao "crack”, além de 70 casos de cultivo de liamba.

Na sequência dos casos registados em 2020, foram abertos 1.956 processos-crime, 1.677 dos quais concluídos e, destes, remetidos a Tribunal 1.004 com presos e 543 sem presos.

O porta-voz do SIC declarou que o órgão operativo do Ministério do Interior "tem sido implacável no combate ao tráfico e consumo de droga no país”.

A uma pergunta sobre o controlo das fronteiras, o porta-voz nacional do SIC referiu que a vigilância das fronteiras é uma preocupação permanente de todos os órgãos de defesa e segurança.

O oficial superior do SIC lembrou que, recentemente,  o órgão de investigação criminal participou em reuniões dos órgãos de Polícia a nível da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), onde foram tratadas matérias ligadas aos crimes transfronteiriços.

"Estão afinados os mecanismos de troca de informações, para um melhor combate a estes crimes”, sublinhou Manuel Halaiwa. 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade