Sociedade

Defendida capacitação contínua dos técnicos de Saúde

Marcelo Manuel | Ndalatando

Jornalista

A promoção das capacidades técnicas dos profissionais de enfermagem na identificação das principais sintomatologias do paciente hipertenso pode ser uma das principais premissas para a melhoria da qualidade de vida e redução de casos de mortes por essa doença, disse, em Ndalatando, o especialista em gestão hospitalar, Jeremias José.

18/05/2022  Última atualização 09H25
© Fotografia por: DR

Segundo o especialista, a hipertensão arterial é uma das patologias mais predominantes em urgências e consultas externas nas unidades de saúde de Angola, em especial na província do Cuanza-Norte, figurando entre as maiores causas de internamento.

Revelou que um estudo realizado por si, durante o primeiro trimestre do ano em curso, apontou a existência de 55 casos da patologia a nível de um Centro Médico de referência do Sassa, situado a Norte da cidade de Ndalatando, cuja média diária de atendimento ronda os 40 pacientes.

O também licenciado em Enfermagem Geral, tendo como tema de defesa a "Hipertensão Arterial: causas e consequências”, ressaltou que o controlo eficaz da pressão arterial permite o rastreio, tratamento precoce e prevenção de complicações ligadas à referida patologia.

Realçou a importância da implementação de programas de controlo e tratamento da  hipertensão a nível das unidades sanitárias do país com maior referência, mas adianta a necessidade imperiosa dos gestores hospitalares providenciarem o acesso à informação, para que os profissionais estejam capacitados.

Jeremias José define a hipertensão arterial ou pressão alta como doença que ataca os vasos sanguíneos, coração, cérebro, olhos e pode causar paralisação dos rins. Ela ocorre quando a medida da pressão se mantém frequentemente acima de 140 por 90 milímetros sanguíneos.

Fez saber que os pacientes hipertensos leves devem optar pelo controlo do peso, alimentação saudável e balanceada e prática de exercícios físicos, como a realização de caminhadas rápidas de 30 minutos, cinco vezes por semana. A diminuição do consumo de bebidas alcoólicas também pode ajudar no controlo dos níveis da doença. Concluiu que, no caso particular de indivíduos com os níveis da doença mais avançados, é necessário o cumprimento das orientações do médico, fazendo o controlo periódico dos níveis de pressão e tomar os medicamentos orientados de forma regular. 


Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade