Economia

Defendida a monitorização do dinheiro do PRODESI

Economistas em Malanje defenderam, ontem, o acompanhamento rigoroso da implementação dos 500 projectos a serem financiados, este ano, pelo Governo, no âmbito do Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição das Importações (PRODESI).

08/01/2022  Última atualização 10H10
PRODESI está a dar sustentabilidade às várias iniciativas dos que dele se beneficiam © Fotografia por: DR
Os 500 prospectos a implementar constam do universo de 1.022 projectos aprovados em 2021 pelo Executivo, no valor de 732,3 mil milhões de kwanzas, para o financiamento de acções ligadas aos sectores da Alimentação, Agro-indústria, Recursos Minerais e Turismo, indicados pelo PRODESI.

A economista Lizete Gonga aconselhou os beneficiários a empregar os valores nas acções previstas pelo Estado, para promover a diversificação económica do país e reduzir a dependência da importação. Defendeu a formação prévia dos empresários a serem seleccionados sobre gestão de negócios, visando evitar os erros de má gerência de fundos, a semelhança do que aconteceu com certos financiamentos passados.

Já o economista Daniel Zinga alertou sobre os perigos da não fiscalização dos projectos beneficiados, sob pena dos valores serem utilizados em outros fins. Por outro lado, adiantou que, caso o Governo consiga financiar e fazer uma boa monitoria da aplicação dos valores, podem ser gerados lucros e criados mais postos de trabalho.

Entretanto, o presidente da Cooperativa Agrícola Kudiva, Albano Carlos, que recebeu em 2021 um financiamento no valor de 30 milhões de kwanzas, no âmbito do PRODESI, destacou a criação de brigadas de formação técnico-profissional, que dão sustentabilidade às iniciativas dos futuros beneficiários.

Na ocasião, o administrador do Guiché Único de Empresa de Malanje, Nelson Lages, disse que serão lançados, em breve, nos 14 municípios da província e nos mercados e locais com maior fluxo populacional, campanhas massivas de constituição de empresas, dentro do Programa de Reconversão da Economia Informal (PREI).

O Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição das Importações, aprovado pelo Decreto Presidencial n.º 169/18, de 20 de Julho, visa, essencialmente, acelerar a diversificação da produção nacional e gerar riquezas através dos sectores da Alimentação, Agro-indústria e Turismo.

Desde a sua implementação, nas diversas linhas de créditos de operacionalização, o PRODESI aprovou, até ao momento, 1.022 projectos.

Durante o ano que terminou, o PRODESI formalizou 1.102 contratos de compra, ultrapassando a meta do Plano de Desenvolvimento Nacional (PDN), de mil contratos, sendo o Cuanza-Sul a província que registou o maior número de contratos (443), seguida de Cabinda (195) e Benguela, com 70.

Actualmente, o Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição das Importações tem registado, na sua base de dados, 34.059 produtores nas variadas áreas de produção.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia