Cultura

Daniela Ribeiro encerra exposição de arte

A exposição de artes de autoria da artista plástica Daniela Ribeiro, intitulada “Génese”, patente no Instituto Sapiens, em Luanda, encerra no próximo dia 16.

06/01/2022  Última atualização 10H55
Artista propõe novas propostas estéticas ao público da capital © Fotografia por: DR
Comportando 24 obras de arte, a exposição "Génese” está inserida na estratégia deste instituto de apoiar iniciativas de carácter cultural, concretizando assim uma das vertentes da sua missão.

A obra "Génese”, de Daniela Ribeiro, tem a sua identificação humanista e ligada à natureza, mostrando também a liberdade artística, o uso de cores quentes que deixam as obras ainda mais admiráveis, sem esquecer a mistura de tinta com resina, inspirada no emponderamento da mulher e na força para a sobrevivência do ser humano.

A artista Daniela Ribeiro tem uma carreira de mais de 20 anos, tendo uma vertente muito humanista e irreverente nas suas obras, o que gerou reconhecimento a nível nacional e internacional. Daí ter sido a primeira artista plástica angolana a expor no pavilhão de Angola na EXPO Dubai 2020.

Daniela Ribeiro nasceu em Angola onde viveu até aos 20 anos. Formou-se em Design, Imagem e Criação por computador em Portugal, onde se licenciou, igualmente, em Relações Internacionais, na Universidade Lusiada. Em 2000 frequentou o curso de Pintura da Sociedade Nacional de Belas Artes em Lisboa e, em 2005, frequentou o curso de Escultura na Escola Ar. Co.

Em 2006 especializou-se em Moldes de Resina e Silicone na Escola Pascal Rosier, em Paris, tendo sido convidada pelo Mestre Pascal Rosier para ministrar aulas em Lisboa, onde assumiu, definitivamente, como artista. Expõe internacionalmente desde 2002, em Portugal, Espanha, Inglaterra, Hong Kong, Miami e Dubai. Em Angola destacou-se nas exposições: "A Unicidade do tempo”, 2009; "O Olho Biónico”, Torres da Escom, 2010; "O Rosto de Deus”, Museu Nacional de História Natural, 2012); "A Nossa Cultura”, Academia BAI, 2013; "Andar nas Nuvens”, Centro Cultural Camões, 2015; "How to be Global”, Centro Cultural Banco Económico, 2016.

Daniela Ribeiro foca a sua carreira artística na inteligência artificial e nas pesquisas que tem realizado sobre o assunto, enfatizando o seu foco principal na ideia de que o Homem passou de uma Criação a ser o próprio Criador. Ela projecta ainda a noção da imaginação futurista do Homem que, por meios tecnológicos e científicos, consegue destacar-se em suas capacidades e realizações. O seu campo de visão se concentra na Nano Tecnologia infinitamente pequena e no infinitamente maior, o Cosmos.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura