Economia

Dalva Ringote aborda evolução do PRODESI

Ana Paulo

Jornalista

A secretária de Estado para a Economia, Dalva Ringote Allen, indicou, ontem, em Luanda, que o Portal da Produção Nacional (PPN) conta, actualmente, com um registo de mais de 20 mil produtores, representando metade da meta prevista no Plano de Desenvolvimento Nacional (PDN 2018-2022).

14/09/2021  Última atualização 21H40
Secretária de Estado para a Economia disse que equipas continuam a trabalhar nos municípios © Fotografia por: Maria Augusta | Edições Novembro
Na apresentação dos resultados das actividades decorridas de 3 a 9 de Setembro, Dalva Ringote comunicou, que, nesse período, registaram-se mais 1.387 produtores, em relação a semana anterior, totalizando os actuais 20.666 promotores.

Segundo os números previstos no PDN, até 2022, prevê-se atingir uma cifra de 40 mil produtores.
Neste sentido, para a melhoria do ambiente de negócio no mercado nacional, estão a ser desenvolvidas pelo Ministério da Economia e Planeamento, actividades de negócios em 11 domínios, dos quais seis considerados críticos e  cinco abrangentes, nomeadamente, abertura de empresas, obtenção de crédito registo de propriedade, execução de contratos, actividades transversais, licença de obras, comércio internacional, entre outros.

De formas a dar continuidade ao processo e concluir as metas previstas no PDN, quiçá ultrapassar, Dalva Ringote Allen realçou que o sector tem levado a cabo o exercício de identificação, registo e avaliação dos projectos apresentados em sede do Ministério, para garantir que as cooperativas a todos os níveis (micro, pequenas, médias e grandes empresas) possam ter acesso aos meios financeiros disponibilizados pelo Executivo, no âmbito do PRODESI.

"Nas duas últimas semanas, disse, os grupos técnicos trabalharam nos 164 municípios, pelas 18 províncias, no sentido de garantir que mais empresas e cooperativas fossem identificadas e registadas no Portal e, a posterior, formalizarem aos instrumentos financeiros disponibilizado pelo Executivo”, garantiu.
Acrescentou também que alguns técnicos continuam em campo para o levantando de mais dados, sobretudo, no meio rural a fim de facilitar o desempenho das actividades previstas pelo pelouro.


Províncias e produtos

De acordo com a secretária de Estado para a Economia, os resultados do cadastramento dos produtores  é positivo, sendo que Huíla continua a liderar, com 3.972. Segue Malanje,  com 3.284; Bié, com 1.801; Huambo,  com 1.602; Luanda,  com 1.340; Cuanza-Norte,  com 1.302; Uíge, com 1.205 e o Cunene, com 1.115.

As restantes províncias, segundo Dalva Ringote Allen, encontram-se abaixo dos mil promotores registados.
Quanto ao registo por categoria, a dos Cereais lidera com um total de 11.304 produtores, seguida de raízes e tubérculos, com 10.778. Leguminosas e Oleaginosas surgem com 10.172, seguida das Hortícolas (6.868), Frutas (4.398), Indústria Alimentar (1.163) e Agricultura diversa (1.075).
Outro destaque no processo, é o registo dos produtores  no Portal por produtos prioritários no sector primário.

Nesta classe, destacam-se o milho, com 10.534; feijão (8.770), banana (2.942), citrinos (1.609), café (1.118), soja (963), cana-de-açúcar (945), aba-cate (747), arroz (532), cacusso (478), pesca marítima (415), ovos (291), palmeira de dendém (204) e algodão (59) produtores registados.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia