Mundo

Cyril Ramaphosa apresenta manifesto eleitoral do ANC

O ANC divulgou, ontem, o seu manifesto para as próximas eleições locais de 1 de Novembro, prometendo renovar-se, conquistar os partidários e parar as incursões da oposição.

03/10/2021  Última atualização 03H25
Líder do ANC diz que o seu partido está preparado para a votação © Fotografia por: DR
Num evento televisionado, citado pela Reuters, o Presidente Cyril Ramaphosa lançou o manifesto do seu partido numa praça pública de Pretória, prometendo um partido reformado e reconhecendo que foram cometidos erros no passado.
 A campanha do ANC já está em pleno andamento desde as últimas duas semanas, com os principais funcionários do partido de Ramaphosa a cruzar cidades e vilas empobrecidas.

 O ANC, que governa a África do Sul desde o fim do apartheid, em 1994, sofreu o seu pior revés eleitoral durante as últimas pesquisas locais em 2016, perdendo mais de 50 por cento do seu eleitorado nacional em cinco das seis maiores cidades, incluindo Joanesburgo e Pretória.

 Mas, na verdade nem tudo vai bem para o ANC. Na sexta-feira, pelo menos nove funcionários em três Ministérios do Governo sul-africano foram implicados no recente escândalo de fraude e corrupção pública com verbas para o combate à Covid-19, segundo anunciou o ministro da Saúde, Joe Phaahla, citado pela Efe.

 O governante disse, em conferência de imprensa, que o relatório da Unidade de Investigações Especiais (SIU) implicou seis altos funcionários no Ministério da Saúde, incluindo o director-geral, "que já está em suspensão cautelar”.
 Os restantes três funcionários governamentais, referiu o ministro, estão afectos ao Ministério de Agricultura, Reforma Agrária e Desenvolvimento Rural, e ao Sistema de Comunicação e Informação do Governo (GCIS), no âmbito do Ministério da Comunicação.
 

Julius Malema em acção

 Os Lutadores da Liberdade Económica (EFF), de Julius Malema, lançaram, igualmente, o seu manifesto, tendo em vista as eleições locais marcadas para 1 de Novembro.  "O nosso manifesto é baseado na observação verdadeira de que o nosso povo está sem terra, desempregado, e de que o Governo local é incapaz de resolver os seus problemas”, disse Malema citado pela Reuters no acto de lançamento do documento.

 O partido promete criar "empregos para os jovens em vez de propostas para os poucos que têm a sua situação resolvida”.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo