Política

Cunene inicia campanha de moralização da sociedade

O MPLA lançou sábado, na cidade de Ondjiva, Cunene, a campanha pública para a moralização da sociedade, que visa promover o resgate dos valores morais e cívicos da sociedade e combater a corrupção, nepotismo, impunidade e bajulação.

22/07/2019  Última atualização 08H15
DR © Fotografia por: Primeiro secretário do MPLA no Cunene, Vigílio Tyova

O primeiro secretário do MPLA no Cunene, Vigílio Tyova, disse, no lançamento, que a corrupção e a impunidade têm um impacto negativo directo na capacidade do Estado e dos seus agentes para executar qualquer programa de Governo.
De acordo com o político, o objectivo é aumentar o diálogo e a consciencialização da sociedade sobre a necessidade do combate à corrupção, nepotismo e abrir o novo espaço de debates sobre temas da actualidade.
O primeiro secretário do MPLA referiu que a corrupção prejudica a economia nacional, descredibiliza as instituições, desencoraja os investidores e inviabiliza o crescimento económico e social sustentado do país. “Convido toda a sociedade para juntar-se neste combate para o alcance dos objectivos preconizados, no âmbito do lema “Melhorar o que está bem, e corrigir o que esta mal” , disse.
De acordo com Vigílio Tyova, com o lançamento da campanha, o MPLA pretende contribuir para a moralização da sociedade sobre o combate à corrupção, nepotismo, impunidade e a bajulação, através de uma ampla campanha pública sistematizada, prevenir futuros actos de corrupção e nepotismo na comunidade.
A campanha tem ainda como objectivo divulgar as leis aprovadas sobre a corrupção, repatriamento coercivo de capitais e branqueamento de capitais e demais legislação sobre o assunto, incentivar os cidadãos a denunciar as práticas de corrupção, nepotismo e promover os valores cívicos e éticos.
Sob o lema “ Combater a corrupção, o nepotismo e a bajulação”, o MPLA pretende igualmente engajar a sociedade no combate de práticas de improbidade pública e assumir o fenómeno como problema social, cultural e económico a ser combatido por todos, bem como materializar o Programa de Governação 2017/2022, sobre o combate à corrupção.
Foram abordados temas como “Intervenção dos medias na prevenção e no combate à corrupção”, “Democracia e boa governação - os avanços internacionais”, “Papel dos Órgãos de Justiça no Combate à corrupção, Resposta jurídico penal ao crime organizado e ao branqueamento de capitais”.
“Ética na administração pública”, “O papel da família e das organizações da sociedade civil no combate à corrupção”, “O papel da escola no combate à corrupção como factor inibidor do seu desenvolvimento”, foram outros temas que preencheram a agenda dos trabalhos.

 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política