Sociedade

Cuidados à pessoa idosa é questão cultural no Zaire

Fernando Neto | Mbanza Kongo

Jornalista

Cuidar dos idosos, por parte dos familiares, é um dos factores positivos que levam a ausência de anciãos abandonados no Zaire, destacou, ontem, em Mbanza Kongo, a directora do Gabinete Provincial da Acção Social, Família e Igualdade do Género.

30/11/2022  Última atualização 10H16
Anciã Isabel Kiesse vive com a família no bairro Nkunga Paza © Fotografia por: Garcia Mayatoko | Edições Novembro | Mbanza Kongo

Isabel Queba Salvador disse, pelo Dia Nacional do Idoso, assinalado hoje, que a prática é parte da cultura local, transmitida de geração em geração, por estes serem "bibliotecas vivas”.

"As famílias nesta região têm enraizada a cultura de cuidar dos idosos. O gabinete de Acção Social, para manter esta cultura, tem realizado visitas domiciliares a muitos idosos, para aferir como são tratados pelos familiares”, contou, além de apelar às famílias para continuarem a cuidar dos idosos.

Por ocasião a data, a directora garantiu a realização, hoje, de um almoço de confraternização, na comuna de Nkalambata, em Mbanza Kongo, onde 150 idosos vão, ainda, beneficiar de alguns produtos da cesta básica.

O almoço, avançou, é feito em parceria com a Associação de Amizade e Solidariedade para com a Terceira Idade (AASTI), para facilitar a transmissão de conhecimentos às novas gerações.

 

Dificuldades

Entre as principais carências dos idosos em Mbanza Kongo, despontam, disse a directora, as refeições incompletas durante o dia e alguns problemas de mobilidade associados à  idade.

"A falta de mobilidade leva muitos a manterem-se em casa, sem exercer qualquer actividade útil. A par disso, muitos fazem, apenas, uma refeição diária, devido às dificuldades financeiras de muitas famílias, um acto preocupante, pois nesta fase eles necessitam de uma dieta equilibrada, para se manter saudável. Por isso, vamos procurar assistir estes, mensalmente, com uma cesta básica”, disse.

O Gabinete da Acção Social, esclareceu, tem cadastrados, apenas, os idosos em situação de vulnerabilidade ou carenciados, que não recebem nenhuma ajuda do Estado, através da pensão de reforma. "Mas, ainda existe um grande número de idosos fora do sistema”.

Actualmente, referiu, têm registado um total de 1.957 idosos em toda província, 1.138 dos quais do sexo feminino e 819 masculinos, sendo 420 no município de Mbanza Kongo, 324 no Soyo, 477 no Kuimba, 467 no Tomboco, 88 no Nzeto e 181 no Nóqui. 

 

Testemunho

O Jornal de Angola saiu à rua e conversou com alguns idosos, que manifestaram, por unanimidade, o bom tratamento recebido dos familiares, fruto da educação dada aos filhos.

O ancião Pedro Vangawete Mpese, de 76 anos, disse que tem sido bem tratado e aconselha os pais a tratarem bem os filhos. "A roupa que uso, o telefone e calçados foram ofertados pelos meus filhos”, frisou.

Isabel Kiese, de 80 anos, residente no bairro Nkunga Paza, disse que sempre viveu do campo, mas actualmente, em função da idade, apenas cuida dos netos e bisnetos.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade